Tribuna Expresso

Perfil

Râguebi

Os convocados para a seleção que apenas joga a cada quatro anos

A cada quatro anos existe algo de muito especial a acontecer no râguebi. Podia ser o Mundial, sim, mas aqui falamos da digressão dos British and Irish Lions, uma seleção dos melhores jogadores britânicos e irlandeses, para defrontarem uma das melhores nações do hemisfério sul. Este ano é a Nova Zelândia e esta quarta-feira foram anunciados os convocados

Diogo Pombo

Warren Gatland, o selecionador, a dar um passou-bem a Sam Warburton, o capitão que escolheu para os British and Irish Lions

Warren Little

Partilhar

Escrevendo eu que, a cada quatro anos, acontece algo de muito especial no râguebi, a primeira coisa que entraria na cabeça de quem lê, seria o Campeonato do Mundo. Não é preciso fazer um estudo de mercado, uma sondagem ou andar para aí a perguntar a muita gente para ter alguma certeza em relação a isto. Um Mundial é um Mundial e não haverá coisa melhor do que ver os melhores do mundo a jogarem entres eles para verem quem manda no mundo oval.

Tudo bem.

Mas não será mais especial ainda que, de quatro em quatro anos, se junte uma equipa com o melhor que há no Reino Unido e na Irlanda, territórios ariscos um com o outro, para fazerem uma digressão a um dos três países que são os bichos papões do râguebi (Austrália, Nova Zelândia ou África do Sul), para vermos se a nata do hemisfério norte vale mais do que alguns dos melhores da metade sul do planeta?

Talvez seja.

Os British and Irish Lions são uma espécie de seleção de estrelas de Inglaterra, País de Gales, Escócia e Irlanda, que entre junho e julho vão fazer 10 jogos na Nova Zelândia - cinco contra clubes, dois frente a seleções provinciais e três diante dos All Blacks, a melhor equipa de râguebi do mundo e uma das mais bem sucedidas da história do desporto (em 113 anos de vida, tem uma percentagem de vitória de quase 79%).

Esta quarta-feira, Warren Gatland, o neozelandês que é o selecionador galês, revelou os nomes dos 41 jogadores convocados para esta digressão. Ele, que já comandou os British and Irish Lions há quatro anos, escolheu para capitão um homem que conhece bem e com quem se dá bem - Sam Warburton, o terceira linha galês, é apenas o segundo a ter a honra de liderar a equipa em duas digressões consecutivas, apesar de já não ser o capitão do País de Gales.

O plantel, para já, é composto por 16 ingleses, 12 galeses, 11 irlandeses e dois escoceses. Nestas coisas, claro há que quem fique de fora e tinha motivos para estar dentro, como George Ford, por exemplo, o médio de abertura inglês, titular nos dois títulos consecutivos no torneio das Seis Nações.

Mas ainda pode acontecer muita coisa, porque ainda restam quase dois meses até a temporada de clubes terminar e, para sorte de uns e azar de outros, há lesões que podem aparecer. “Escolhemos os competidores mais duros. Temos que ter a certeza que há qualidade e quantidade nas opções para os desafios que teremos de enfrentar”, resumiu Warren Gatland, após o anúncio dos convocados.

David Rogers

O primeiro jogo da digressão está agendado para 3 de junho, contra os New Zealand Barbarians, uma equipa de província. Só depois de outros três encontros frente a clubes neozelandeses (os Blues, os Crusaders e os Chiefs) e um diante dos Maori All Blacks é que os Lions irão defrontar a toda poderosa Nova Zelândia, a 24 de junho.

Será o primeiro test match (basicamente, o nome dado aos jogos internacionais a sério). Há quatro anos, na digressão pela Austrália, os leões britânicos e irlandeses venceram a série por 2-1. Em 2005, contudo, na única vez que foram à Nova Zelândia, sofreram derrotas pesadas nos três jogos frente aos All Blacks.

Os 41 convocados para os British and Irish Lions:

Três quartos: Dan Biggar (Gales), Elliot Daly (Inglaterra), Jonathan Davies (Gales), Owen Farrell (Inglaterra), Leigh Halfpenny (Gales), Robbie Henshaw (Irlanda), Stuart Hogg (Escócia), Jonathan Joseph (Inglaterra), Conor Murray (Irlanda), George North (Gales), Jack Nowell (Inglaterra), Jared Payne (Irlanda), Jonathan Sexton (Irlanda), Tommy Seymour (Escócia), Ben T’eo (Inglaterra), Anthony Watson (Inglaterra), Rhys Webb (Gales), Liam Williams (Gales), Ben Youngs (Inglaterra).

Avançados: Rory Best (Irlanda), Dan Cole (Inglaterra), Taulupe Faletau (Gales), Tadhg Furlong (Irlanda), Jamie George (Inglaterra), Iain Henderson (Irlanda), Maro Itoje (Inglaterra), Alun Wyn Jones (Gales), George Kruis (Inglaterra), Courtney Lawes (Inglaterra), Joe Marler (Inglaterra), Jack McGrath (Irlanda), Ross Moriarty (Gales), Sean O’Brien (Irlanda), Peter O’Mahony (Irlanda), Ken Owens (Gales), Kyle Sinckler (Inglaterra), CJ Stander (Irlanda), Justin Tipuric (Gales), Mako Vunipola (Inglaterra), Billy Vunipola (Inglaterra), Sam Warburton (Gales, capitão).