Tribuna Expresso

Perfil

Râguebi

Rixa e violência após o jogo: Federação suspende campeonato de râguebi e apresenta “queixa-crime contra incertos”

A Federação condena os “graves acontecimentos” ocorridos durante a meia-final do campeonato, entre Agronomia e Direito, que ficou marcada por cenas de violência

Expresso

Partilhar

Num comunicado, a Federação Portuguesa de Rugby (FPR) disse que irá apresentar “queixa-crime contra incertos, no sentido de se responsabilizar criminalmente os responsáveis pelas cenas absolutamente lamentáveis e degradantes que se verificaram nas bancadas do campo da Tapada da Ajuda”.

Além disso, o campeonato também se encontra suspenso a partir deste momento.

No sábado, o encontro Direito-Agronomia ficou marcado por cenas de violência nas bancadas e no relvado, e pela ausência da equipa de arbitragem, que levou a que o jogo, que o Direito venceu por 15-12, fosse dirigido por um individuo recrutado da bancada.

Na outra meia-final do campeonato nacional de râguebi, disputada no domingo, o Belenenses venceu o Dramático de Cascais, por 37-10

A final da competição está agenda para o próximo sábado.

Leia o comunicado na íntegra

"A Direção da Federação Portuguesa de Rugby reuniu de urgência para analisar os graves acontecimentos ocorridos no dia 28 de abril de 2018, durante o jogo que opôs AEIS Agronomia ao Grupo Desportivo de Direito, a contar para a meia-final do Campeonato Nacional 1 (CN1), tendo decidido:

1 – Formalizar, junto das autoridades policiais, queixa-crime contra incertos, no sentido de se responsabilizar criminalmente os responsáveis pelas cenas absolutamente lamentáveis e degradantes que se verificaram nas bancadas do campo da Tapada da Ajuda;

2 - Participar disciplinarmente contra todos os jogadores, treinadores e dirigentes, bem como contra os dois clubes que tomaram parte na referida meia-final, no sentido de serem aplicadas todas as medidas disciplinares aplicáveis em função dos factos que forem dados como provados;

3 - Suspender, com efeitos imediatos e sem prazo, o CN1, até que (i) sejam concluídas todas as diligências de natureza disciplinar iniciadas em função da participação referida em 2, e (ii) a Direção da FPR considere estarem reunidas as condições de segurança e integridade moral e organizacional para ser retomada a competição. Infelizmente, os acontecimentos de Sábado, dia 28 de Abril, são os mais graves numa série de incidentes verificados desde a primeira jornada da presente época desportiva, que incluem invasões de campo, um número recorde de castigos por agressões e ofensas, incidentes envolvendo dirigentes e público, e até uma agressão a menor que foi exemplarmente castigada. A extrema gravidade dos acontecimentos extravasa o mero âmbito dos regulamentos e exige medidas firmes, ainda que inéditas, no sentido de proteger a imagem do rugby português e os seus valores.

A Direção da FPR informa ainda que responderá, em tempo oportuno e de forma exaustiva, às diversas considerações que foram feitas sobre a modalidade em Portugal e, em particular, sobre a arbitragem, por diversos agentes desportivos.

Finalmente, a Direção gostaria de congratular-se com a forma como decorreu a segunda meia-final, disputada no Estádio do Restelo, entre CF Belenenses e GDS Cascais, e agradecer sinceramente a muito generosa contribuição de todos os que se disponibilizaram para arbitrar os diversos jogos que tiveram lugar esta semana, com particular destaque para Kane Hancy e Pedro Sarmento