Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Presidente do Arouca: “Bruno de Carvalho cuspiu-me, eu senti e limpei, que era para o meu filho que estava ao lado não ver”

Para Carlos Pinho, “o Sporting merece outra pessoa à frente do clube, que é uma grande instituição”. Líder do Arouca acusou Bruno de Carvalho, em entrevista à TSF, de lhe ter feito uma “espera” na zona dos balneários e de lhe ter cuspido

Expresso

MANUEL DE ALMEIDA

Partilhar

Pensava-se que a polémica criada em volta do pós-jogo Sporting-Arouca já tivesse acabado… mas não. Carlos Pinho, presidente do Arouca há 11 anos, acusa Bruno de Carvalho de lhe ter feito uma “espera” na zona dos balneários de Alvalade e confirma ter sido “cuspido”, em entrevista à TSF esta quarta-feira.

Para o presidente do Arouca, o encontro dos dois presidentes nos túneis de Alvalade foi premeditado por Bruno de Carvalho. “Não era para me dar carinho...”, diz. Carlos Pinho confirmou também o episódio da “cuspidela” – que o líder dos leões diz ter sido vapor do cigarro eletrónico – e justifica não ter reagido instantaneamente porque é uma pessoa que se controla.

“Cuspiu-me, eu senti e limpei, que era para o meu filho que estava ao lado não ver”, relata agora, confessando ainda que ficou profundamente “envergonhado”. “O meu pai já dizia que uma cuspidela era pior do que levar um murro”, explica.

Nas declarações à TSF, Carlos Pinho diz ainda que "o Sporting merece outra pessoa à frente do clube que é uma grande instituição" e que espera que Bruno de Carvalho perca as eleições.