Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Jorge Jesus de saída de Alvalade?

Passados quase dois anos da sua chegada a Alvalade, o treinador pode estar de saída. “Já nada me prende ao Sporting”, terá desabafado o treinador a amigos seus, segundo revela esta manhã o “Correio da Manhã”

Expresso

JOSÉ COELHO / Lusa

Partilhar

“Já nada me prende ao Sporting.” Foi isto que Jorge Jesus terá dito a alguns amigos depois das declarações de Bruno de Carvalho, feitas após a derrota dos leões com o Belenenses por 1-3, revela o “Correio da Manhã” esta quarta-feira.

No final do jogo realizado no domingo, o presidente do Sporting disse ao canal televisivo do clube que achou o jogo “deprimente” e que, para ele, “já chega”. “Tudo tem de ser diferente na próxima época. O Sporting é vencer, não é dar desculpas”, frisou.

Afinal, como é que se chegou a este ponto? No ano passado, Jorge Jesus (e o Sporting) disputou o campeonato até à última jornada, com um plantel de peso. Mas esta época os leões tiveram menos margem de manobra para contratações – apesar de terem acertado em cheio com Bas Dost – e acabaram por sair da luta pelo campeonato bem mais cedo do previsto e prometido. Jesus, que chegou a Alvalade como o milagre necessário para ganhar o próximo campeonato, tal como tinha dado provas no Benfica, foi sempre protegido por Bruno de Carvalho.

Passados quase dois anos, o treinador pode estar de saída. Jorge Jesus não gostou das declarações do presidente do clube, que surgiram poucos dias depois da morte do pai do treinador.

Virgolino de Jesus, ex-jogador leonino, era o que ligava Jorge Jesus ao Sporting, a quem até tinha prometido levar os leões ao título. O falecimento de Virgolino a 28 de abril corta essa obrigação. Segundo o matutino, o técnico já tinha recusado algumas propostas para poder acompanhar de perto a doença do pai.

Para sair, Jesus só sai a bem

O “Record” também conta esta quarta-feira que apesar de Jorge Jesus ter mais dois anos de contrato com o Sporting muito dificilmente irá ficar no clube. A reunião que Bruno de Carvalho e Jorge Jesus tinham marcada para esta semana foi adiada pelo presidente, o que terá desagradado ao treinador do clube.

Quando os dois se encontrarem, a possibilidade de “divórcio” estará sobre a mesa. Mais: o diário desportivo revela que Jesus só aceita sair a bem – ou seja, abdica dos 16 milhões de euros que teria de receber pelos dois anos de contrato na condição de os leões não imporem qualquer cláusula de incorrência.