Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Eder: “Os franceses não ficaram nada contentes com o que aconteceu, tive muitos desafios esta época e tive de lidar com eles”

Eder marcou, Portugal ganhou, os franceses não perdoaram. O regresso ao Lille foi complicado para o ponta-de-lança português

Expresso

Lars Baron

Partilhar

Não foi fácil o regresso de Eder ao Lille depois da conquista do Euro2016. Foi o próprio que o confessou, em entrevista à “Antena 1” esta segunda-feira. Faz um ano que o ponta-de-lança marcou o golo mais português de 2016 à França, país onde joga, já durante o prolongamento da final competição.

“Os franceses não ficaram nada contentes com o que aconteceu, tive muitos desafios esta época e tive de lidar com eles. Numa primeira fase não me incomodava, até estava contente porque era sinal que tinha feito algo importante. Mas depois, as coisas não estavam a correr bem e aí torna-se mais complicado. Aguentei-me bem e consegui ultrapassar”, confessou o jogador internacional português.

Tendo assistido à Taça das Confederações à distância, Eder lamentou ter ficado de forada convocatória. Mas não ficou a guardar ressentimentos.

“É claro que gostava de ir, como qualquer jogador. O mister falou comigo. Tem de tomar opções e escolheu o grupo que achava que devia convocar. Tenho de me conformar porque não adianta, não há uma regra que diga que ‘porque fizeste isto tens de ir’. Não é assim, tem a haver com o momento. Agora espero continuar a trabalhar para poder estar nas opções [para o Mundial] e se o selecionador assim o entender, irei com todo o gosto”, disse.