Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Liga acusa PSD de ter “agenda obscura” e estar a tentar “rebentar” com a competição

PSD propôs retirar aos clubes e dar à direção da Federação Portuguesa de Futebol a elaboração dos regulamentos de arbitragem e de disciplina

Expresso

Partilhar

O PSD fez uma proposta (à última hora) e a Liga não gostou. Não gostou mesmo. O PSD propôs retirar aos clubes e dar à direção da Federação Portuguesa de Futebol a elaboração dos regulamentos de arbitragem e de disciplina. Esta iniciativa foi apresentada no último dia do prazo e sem audição pública, para efeitos de votação, ao Grupo de Trabalho do Desporto da Comissão Parlamentar de Cultura, Comunicação, Cultura e Desporto da Assembleia da República.

No final do dia de ontem, após a iniciativa do PSD ter vindo a público, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional emitiu um comunicado com afincadas críticas aos sociais-democratas. “A LPFP e as Sociedades Desportivas repudiam veementemente esta proposta e apelam ao bom senso dos demais Grupos Parlamentares e ao Governo para não aceitarem compactuar com esta proposta, que mais não representa que o fim do futebol profissional em Portugal”, lê-se.

Para a Liga, esta proposta, conduzida de forma “clandestina”, põe em causa “o edifício do futebol profissional, assim como a gestão e credibilidade das sociedades desportivas que representa”.

“Além de ser inconstitucional, é bem desleal e reveladora de uma agenda obscura”, disse Pedro Proença, presidente da Liga Portuguesa de Futebol, em declarações ao “Jogo” esta quarta-feira.

De acordo com o comunicado da Liga, a verdadeira intenção desta alteração de última hora “não é difícil de descortinar e resulta óbvia do texto proposto”. “O que aqui o PSD propõe - ao arrepio de uma História de que, numa anterior encarnação, até foi digno coautor - mais não é do que uma regulamentação "à medida" (pois só no futebol existem competições profissionais), que visa um retrocesso de décadas no reconhecimento das especificidades do desporto profissional e, à boleia desse retrocesso, confiscar às sociedades desportivas profissionais a capacidade de se autorregularem, no que diz respeito à elaboração dos regulamentos de Disciplina e de Arbitragem”, lê-se no comunicado.

Pode ler o comunicado na íntegra AQUI.

Partilhar