Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

A queda do Tigre do golfe. Woods está fora do top... 1000

O último torneio em que Tiger Woods participou foi a 3 de fevereiro deste ano, no Dubai, mas acabou por desistir por não suportar as dores nas costas

Expresso

Tiger Woods com o capitão da equipa Davis Love III

Rob Schumacher / USA TODAY Sports

Partilhar

Ele foi o número no ranking mundial do golfe durante 683 semanas. Ele foi o nome do desporto durante anos. Mas tudo descarrilou para Tiger Woods nos últimos três anos.

Aos 41 anos, e após uma série de escândalos - sexuais, consumo de drogas e condução sob efeitos do álcool -, o legado desportivo do norte-americano parece estar a evaporar-se. Na segunda-feira, a “World Golf Ranking” atualizou a organização da hierarquia mundial, tendo Tiger Woods descido do 987.º para o 1005.º posto.

Tiger Woods conta com 14 títulos de Grand Slam no currículo, mas, desde 2014, quando foi operado pela primeira vez às costas, nunca mais conseguiu regressar ao seu nível anterior de competição. O desportista passou a estar dependente de vários medicamentos para a ansiedade.

Em abril deste ano foi operado às costas pela quarta vez. Já em maio, o ex-número um mundial foi detido cerca da 01:00 da madrugada na cidade de Jupiter, no sul da Flórida, por conduzir alegadamente sob influência de substâncias tóxicas, álcool e marijuana.

Os testes realizados posteriormente não revelaram a presença de álcool, tendo o jogador dito à polícia que o estado de desorientação e o discurso incoerente que apresentava na altura da detenção foram originados por uma reação adversa a alguns medicamentos.

Na sequência deste episódio, o golfista norte-americano admitiu que está a receber ajuda para lidar com a medicação que está a tomar para vários problemas de saúde. “Estou a receber ajuda profissional para gerir a medicação que tomo para as dores nas costas e distúrbios de sono”, disse o golfista.

O último torneio em que Tiger Woods participou foi a 3 de fevereiro deste ano, no Dubai, mas acabou por desistir por não suportar as dores nas costas.