Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Octávio Machado: “Não sei se estava a borrifar-se para mim, mas BdC não foi capaz de me dizer aquilo que pensava nos olhos”

O presidente do Sporting nunca explicou ao diretor para o futebol do clube o porquê do seu afastamento

Expresso

Nuno Botelho

Partilhar

Octávio Machado, 68 anos, não saiu do Sporting a bem ou de boas relações com Bruno de Carvalho. O presidente do Sporting nunca explicou ao diretor para o futebol do clube, desde 2015, o porquê do seu afastamento.

“Não sei se estava a borrifar-se para mim, mas não foi capaz de me dizer aquilo que pensava nos olhos. Não teve coragem e eu desejava que dissesse o que queria de mim. Só saio em rota de colisão com um grupo de cobardes, mas não acredito que o presidente soubesse das notícias que saíam sobre mim. Alguns é que são passarinhos”, disse, em entrevista à “CMTV” na quarta-feira.

Segundo o ex-diretor para o futebol, há alguns meses começaram a surgir notícias da saída quando ele nunca tinha demonstrado tal intenção. “Essas notícias fragilizaram-me e davam a ideia de que estava a perder influência no clube”, disse.

Octávio Machado confessou na mesma entrevista que a única pessoa que esteve do seu lado, durante o processo de saída, foi Jorge Jesus. “O Jorge Jesus disse-me que queria que continuasse as minhas funções e opôs-se sempre à minha saída, deu-me sempre confiança e tranquilidade. Antes de enviar a carta a anunciar a saída, contei a Jesus. Ele tentou demover-me, mas não podia continuar só com o apoio de uma pessoa”, disse.

Depois de tomada a decisão, Machado teve uma reunião com Rui Caeiro, vice-presidente do Sporting, para o informar da saída, e ofereceram-lhe outras funções - de comentador desportivo.

“Nessa altura, Bruno de Carvalho estava na Guatemala e disse-me que depois ia falar comigo, mas isso nunca aconteceu”, revelou.