Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

AG do Benfica: cadeiras pelo ar, apertos a Vieira, polícia para manter a calma

Reunião da Assembleia Geral do Benfica decorreu na última noite. Sócios aprovaram contas, mas houve muita contestação, depois dos recentes maus resultados desportivos

Expresso

Partilhar

As contas do Benfica relativas ao exercício na época desportiva de 2016/2017 foram na última madrugada aprovadas pelos sócios do clube, com 61% de votos a favor, 29% contra e 9% de abstenções. Mas a grande nota do encontro foi a agitação que se verificou, com insultos, agressões e críticas à direção de Luís Filipe Vieira.

A imprensa desportiva deste sábado dá largo destaque ao assunto, que faz capa dos diários Record e A Bola, respetivamente com os títulos "Explosivo" e "Alta Tensão".

No Record pode ler-se que "o vice-presidente da mesa da Assembleia Geral, Virgílio Duque Vieira, e o seu primeiro secretário, Jorge Arrais, sofreram na pele a contestação dos sócios e o cenário só veio a acalmar com a posterior chamada do corpo de intervenção da PSP". A Bola acrescenta que choveram cadeiras na sala do pavilhão onde decorria a Assembleia Geral quando foi lembrado aos sócios que as intervenções tinham um limite de dois minutos e que chegou mesmo a rebentar um petardo dentro da sala.

Os relatos dos dois jornais indicam que as intervenções em que era referido o nome de Rui Costa mereceram o aplauso de muitos dos sócios presentes. Além de terem surgido críticas várias à gestão de Luís Filipe Vieira.

Quanto às contas propriamente ditas, elas foram apresentadas pelo vice-presidente do clube Nuno Gaioso Ribeiro e apontavam para um resultado positivo de mais de seis milhões de euros.