Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Fim do fabrico de sapatos CR7 leva empresa portuguesa quase à falência

Cristiano Ronaldo deixou terminar o contrato que tinha com a empresa portuguesa para a sua gama de calçado no final do ano passado e levou o fabrico para outro país

Expresso

Partilhar

O fim do fabrico em Portugal da marca de sapatos não desportivos de Cristiano Ronaldo - a CR7 Footwear - levou uma das empresas que era responsável pela confeção quase à falência. Mais: empresa Footwear foi obrigada a apresentar um Processo Especial de Revitalização (PER), avança o “Jornal de Negócios” esta quarta-feira.

Cristiano Ronaldo deixou terminar o contrato que tinha a empresa portuguesa no final do ano passado para a sua gama de calçado - lançado mundialmente em fevereiro de 2015 - e levado o fabrico para outro país.

À data do lançamento, o atleta português elogiou largamente a indústria portuguesa de calçado, chegando a dizer que era “hoje reconhecida como uma das melhores do mundo, graças à sua capacidade de criação, produção, design e moda”.

Em declarações ao “Negócios”, o CEO da Portugal Footwear, Paulo Gonçalves, disse que “o contrato [com CR7] acabou no final do ano passado” e que a perda de um cliente tão importante deixou a empresa numa situação económico-financeira muito sensível. “Apresentámos um Processo Especial de Revitalização para a reestruturação da empresa”, revelou o responsável da empresa.

Neste momento, a Portugal Footwear emprega 20 trabalhadores e tem capacidade para produzir cerca 200 pares de sapatos por dia. A dívida total da empresa atinge os 6,8 milhões de euros, a um total de 158 credores.