Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Juiz do Tribunal Arbitral do Desporto renuncia ao cargo após ser apanhado a pedir bilhetes ao Benfica

Miguel Lucas Pires enviou em abril deste ano um email a Fernando Seara a pedir cinco bilhetes para o jogo entre Benfica e o Marítimo. Estes acabaram por ser oferecidos pelos encarnados

Expresso

João Lima

Partilhar

Eis um pedido que nunca deveria ter acontecido: Miguel Lucas Pires, juiz do Tribunal Arbitral do Desporto, enviou em abril deste ano um email a Fernando Seara, figura pública e adepto conhecido dos encarnados, a pedir cinco bilhetes para o jogo entre Benfica e o Marítimo.

Seara, por sua vez, reenviou o email para a cadeia de comando do Benfica: Domingos Soares Oliveira, administrador da SAD do Benfica, acabou por garantir os ingressos.

Esta situação, que vai contra o código deontológico do TAD, foi revelada pela revista “Sábado” na quinta-feira, com base numa troca de emails, e já trouxe consequências: Miguel Lucas Pires renunciou ao cargo que ocupava no TAD ainda no mesmo dia.

“Quer durante quer depois de concluída a arbitragem, nenhum árbitro deve aceitar oferta ou favor proveniente, directa ou indirectamente, de qualquer das partes, salvo se corresponder aos usos sociais aceitáveis no domínio da arbitragem”, lê-se no código Deontológico do TAD.

Após ter sido confrontado com o caso pela revista, Miguel Lucas Pires assumiu que “notícias como esta inevitavelmente minam definitivamente” a sua “credibilidade e imagem de isenção e imparcialidade, não apenas junto da opinião pública, mas igualmente e sobretudo junto das entidades e sujeitos que recorrem ao TAD”.

Para não “colocar em causa” a sua carreira, Lucas Pires anunciou que tinha renunciado “com efeitos imediatos (...) às minhas funções de árbitro do TAD”.