Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Ministério Público investiga director-geral do FC Porto devido a suspeitas de “corrupção ativa”

Esta não é a primeira vez que o nome de Luís Gonçalves surge associado a suspeitas de corrupção e pressão sobre os árbitros

Expresso

Partilhar

Luís Gonçalves, director-geral do FC Porto, está a ser investigado pelo Ministério Público devido a suspeitas de “corrupção ativa na atividade desportiva”, avança o “Correio da Manhã” esta terça-feira.

Pelo que apurou o matutino, no processo 1895/17.4T9BRG - o de Luís Gonçalves -consta, entre outros documentos, uma carta enviada pela procuradora-adjunta Nélia da Conceição Teixeira Alves, da Comarca de Braga, à Federação Portuguesa de Futebol (FPF), no passado dia 27 de outubro.

O Ministério Público solicitou à FPF documentos relacionados com o jogo Sporting de Braga–FC Porto (Liga, 1-1), da época passada, disputado a 15 de abril, pois “considera-os imprescindíveis” para as averiguações em curso.

Segundo o “CM”, esses documentos são relativos à nomeação dos árbitros dessa jornada, o relatório do árbitro Hugo Miguel, que orientou o jogo entre o FC Porto e o Braga, e o mapa de castigos dessa mesma jornada.

Nesse encontro, lembremos, o diretor-geral do FC Porto foi suspenso pelo Conselho de Disciplina da FPF por 30 dias, com base no relatório do árbitro Hugo Miguel.

Luís Gonçalves foi expulso após o fim do jogo, por ter ameaçado o quarto árbitro, Tiago Antunes. “Nós sabíamos o que vinhas tu para aqui fazer, nós vamos conversar mais tarde, a tua carreira vai ser curta”, atirou Luís Gonçalves.

No final da época passada, Tiago Antunes acabou mesmo por ser despromovido de categoria - motivo pelo qual o Ministério Público terá aberto uma investigação.

Na carta enviada à FPF, o MP requereu as classificações dos árbitros na época passada e as notas obtidas por Tiago Antunes em cada um dos jogos em que participou.

Esta não é a primeira vez que o nome de Luís Gonçalves surge associado a suspeitas de corrupção e pressão sobre os árbitros.

Ainda na segunda-feira, o Benfica tinha lançado novas suspeitas sobre Luís Gonçalves por este ter dirigido ameaças contra as equipas de arbitragem dos jogos com o Boavista e o Leixões.

“Luís Gonçalves volta atacar. Investigado pelo Ministério Público por ameaças ao árbitro Tiago Antunes soube-se agora de novas ameaças à equipa de arbitragem no túnel do Bessa no intervalo do último Boavista - FC Porto. Já com o Leixões, na foto, foram várias as ameaças... ao quarto árbitro. O clima de coacção tem de acabar”, lê-se no Twitter da direção de comunicação da equipa da Luz.

A conta é fechada, mas o “Record “teve acesso à mensagem e divulgou o seu conteúdo.