Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Invasão de campo em Coimbra provocou um ferido. Liga instaura processo para apurar responsabilidades nos desacatos

Uma mulher sofreu ferimentos na sequência de desacatos entre adeptos da Académica e do Famalicão, no final do jogo, disputado no Estádio Cidade de Coimbra

Lusa

Partilhar

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) anunciou no domingo que vai instaurar um processo de averiguações na sequência dos desacatos entre adeptos da Académica e do Famalicão, no final do jogo da II Liga, que causaram um ferido.

“Na sequência dos incidentes verificados na partida entre Académica e Famalicão, a Liga Portugal irá tomar medidas no sentido do apuramento de responsabilidades, através da instauração de um processo de averiguações”, referiu a entidade, numa nota enviada à Agência Lusa.

Uma mulher sofreu ferimentos na sequência de desacatos entre adeptos da Académica e do Famalicão, no final do jogo, disputado no Estádio Cidade de Coimbra, que terminou com uma igualdade (1-1).

Fonte policial disse à agência Lusa que uma mulher adepta do Famalicão sofreu ferimentos na cabeça, depois de ter sido atingida na cabeça por uma cadeira supostamente arremessada por adeptos da ‘briosa’, quando se encaminhava para a saída do estádio.

“A LPFP repudia e condena este género de incidentes no futebol, pelo que solicitará às forças de Segurança Pública destacadas na partida realizada em Coimbra o envio, com caráter de urgência, do relatório das ocorrências do jogo, de que se lamenta a existência de um ferido”, conclui a nota.

A Académica e o Famalicão empataram hoje 1-1, em jogo da 15.ª jornada da II Liga de futebol, que teve um final atribulado depois do apito final, com um grupo de adeptos da ‘briosa’ a invadir o campo.

Com os nervos à flor da pele, alguns desentendimentos dentro do campo entre dirigentes e jogadores foram depois transmitidos para as bancadas, com os adeptos visitantes a terem de sair escoltados e debaixo de grande confusão.

Fora do estádio, a polícia teve de intervir para separar os adeptos dos dois clubes e criar um cordão de segurança para evitar mais desacatos e permitir que vários autocarros com os apoiantes do Famalicão pudessem sair em segurança.