Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Chris Froome com doping positivo na Volta a Espanha. Ciclista diz que foi devido à asma

Em comunicado, Chris Froome reagiu dizendo ter “seguido os conselhos do médico da equipa” Sky, para aumentar a dosagem face ao agravamento da sua asma durante a Vuelta

Lusa e Expresso

Chris Froome à espera de mais uma camisola vermelha depois da vitória na nona etapa.

JAIME REINA

Partilhar

O vencedor da Volta a Espanha deste ano, o britânico Chris Froome, apresentou um resultado positivo de doping nessa competição, anunciou esta quarta-feira em comunicado a União Ciclista Internacional (UCI).

O ciclista que venceu quatro vezes a Volta à França, incluindo a de 2017, testou positivo, numa análise, à substância salbutamol, um broncodilatador. “A análise da amostra B confirmou o resultado da amostra A do corredor” da equipa Sky, precisou a UCI.

Em comunicado, Chris Froome reagiu dizendo ter “seguido os conselhos do médico da equipa” Sky, para aumentar a dosagem face ao agravamento da sua asma.

“A minha asma acentuou-se na Vuelta, pelo que segui os conselhos do médico da equipa para aumentar as minhas doses de salbutamol. Como sempre, tomei as maiores precauções para garantir que não excedia as doses permitidas”, explicou Froome.

A UCI revelou hoje o controlo antidoping adverso a Froome, no caso o broncodilatador salbutamol, numa análise à urina feita em 07 de setembro, durante a última edição da Vuelta.

O organismo diz ter notificado o corredor em 20 de setembro, acrescentando que a contra-análise confirmou a presença da substância acima do admitido para uso terapêutico.

“É do conhecimento público que tenho asma e eu conheço detalhadamente as regras. Eu utilizo um inalador para atenuar os sintomas (sempre dentro dos limites permitidos) e sei que sou, obviamente, controlado em cada dia que uso a camisola de líder”, justificou Froome.