Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Bruno Fernandes: “Espero que o Benfica fique fora da corrida, para o Sporting ter um concorrente a menos”

Neste momento, o Sporting tem mais três pontos do que o Benfica. Mas Bruno Fernandes não acha que este número espelha diferença entre as equipas

Expresso

MIGUEL MEDINA/Getty

Partilhar

Uma cláusula de rescisão fixada nos 100 milhões euros é “absurda”, Jorge Jesus não é o treinador “mais exigente” com quem já trabalhou, Adrien faz falta ao meio-campo dos leões e o desejo que o Benfica… fique fora da corrida do campeonato. Eis os destaques da entrevista de Bruno Fernandes, médio do Sporting, ao “Record” esta terça-feira.

Sobre a sua cláusula de rescisão

“Foi uma das questões que eu falei quando assinei. Quando soube da cláusula de rescisão de 100 milhões de euros, disse ao meu empresário que mais valia fazer um contrato vitalício [risos]. Porque 100 milhões é muito dinheiro. Tudo bem que neste momento o mercado está um pouco inflacionado e vendem-se jogadores por valores que nem se deviam vender, porque estão fora de mão. Mas o meu objetivo era ficar no Sporting. Se houver algum clube que chegue aqui e dê 100 milhões, se for bom para mim e para o clube, ninguém tem nada a perder. O mais importante é que quando eu possa sair do Sporting que seja com títulos e que deixe algo de positivo. E se puderem ser os 100 milhões… Sinceramente, acho um valor muito alto e absurdo, mas assim seja”, admitiu Bruno Fernandes.

Sobre Jorge Jesus

“Foi fácil perceber principalmente que o míster quer ganhar e esse é o objetivo de todos. É algo que ele nos transmite muito bem. É um treinador de ideias muito claras e transmite-as aos jogadores logo desde o princípio. As ideias e os objetivos têm de ser todos iguais no grupo. (...) Já apanhei treinadores exigentes. Não digo mais do que ele, mas apanhei treinadores tão exigentes quanto ele”, disse.

Sobre Adrien

“Gostava [que ele tivesse ficado no Sporting]. Os meus primeiros dois golos no Sporting são com o Adrien em campo, uma das assistências é dele. É um jogador inteligente, com agressividade. Pensa rápido e taticamente é forte. Somos ao mesmo tempo parecidos, mas temos qualidades muito distintas. Não podemos ser comparados. O Adrien este ano poderia ter sido uma mais-valia. Era o capitão, uma marca no clube. Os adeptos por vezes não entendem porque não há bandeiras mas os jogadores vivem de desafios e o Adrien sentiu isso. Achava que tinha terminado o seu tempo no Sporting. Foi talvez a melhor escolha, para sentir um campeonato diferente, para mim o melhor do Mundo. Desejo-lhe o melhor, que volte na máxima força…”, disse

Sobre o Benfica e o dérbi

Neste momento, o Sporting tem mais três pontos do que o Benfica. Mas Bruno Fernandes não achas que este número espelha diferença entre as equipas.

“Não… O campeonato… Sinceramente, não tenho visto jogos do Benfica. Também porque jogamos praticamente nos mesmos dias. Tento acompanhar ao máximo o campeonato. O clube que tento ver mais é o Boavista, porque é aquele pelo qual tenho algum carinho. De resto, tento um bocadinho abstrair-me do futebol. Sempre que posso ou sempre que tenho disponibilidade vejo mas, sinceramente, o Benfica não tenho conseguido acompanhar, porque jogávamos na mesma altura na Champions e no campeonato. Mas o Benfica é um grande clube e são momentos que os clubes passam. Nós tivemos o nosso momento mau quando empatámos em Moreira [de Cónegos]. O mais importante é tentar que o Benfica, quando jogar contra nós, não tenha grande sorte”, disse.

Segundo o médio, ainda há muito campeonato para jogar, ainda há muitos deslizes. “Por isso… Espero que o Benfica fique fora da corrida, para o Sporting ter um concorrente a menos”, admitiu.