Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Fisco espanhol entende que Ronaldo já devia estar preso

Tendo em conta as medidas aplicadas a outros infratores, Cristiano Ronaldo devia estar preso, defendeu Caridad Gómez Mourelo, responsável da unidade central de coordenação do Tesouro espanhol e especialista em crime fiscal, numa sessão do tribunal há duas semanas

Expresso

Kai Pfaffenbach/reuters

Partilhar

Para o Fisco espanhol, tendo em conta as medidas aplicadas a outros infratores “menores”, Cristiano Ronaldo devia estar preso devido à alegada fraude fiscal de 14,7 milhões de euros, noticia o “El Mundo” esta terça-feira.

Pelo menos, esta é a medida que Caridad Gómez Mourelo, responsável da unidade central de coordenação do Tesouro espanhol e especialista em crime fiscal, defendeu em declarações ao Tribunal de Primeira Instância de Pozuelo de Alarcón há duas semanas.

“Sinceramente, temos pessoas na prisão por terem deixado de pagar 125 000 euros”, lembrou Caridad Gómez Mourelo ao tribunal numa sessão que decorreu a 7 de dezembro, revela o matutino espanhol.

Segundo a responsável da unidade central de coordenação do Tesouro espanhol, “a falta de declaração” ao fisco do jogador português, com “taxas e juros de mora” representa uma “quantia importantíssima” para o Fisco espanhol.

No seu entender, Cristiano Ronaldo cometeu evasão fiscal de forma voluntária. Mais: o internacional português terá recorrido a “testas de ferro e paraísos fiscais” para tributar os seus direitos de imagem.