Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Caso dos emails. Francisco J. Marques acusa o Benfica de pagar estadia a ex-dirigente da arbitragem

O responsável de comunicação do FC Porto revelou que Paulo Gonçalves, assessor jurídico do clube da Luz, pediu a uma funcionária do Benfica para reservar dois convites no nome de Ferreira Nunes, antigo dirigente do Conselho de Arbitragem, para um jogo da Champions

Expresso

Partilhar

Apesar de todas as ameaças de processos jurídicos, os e-mails internos do Benfica continuam a vir à tona.

Francisco J. Marques revelou na terça-feira à noite, no programa Universo Porto, do Porto Canal, mais uma mensagem de correio eletrónico da equipa encarnada que vem levantar suspeitas sobre o clube.

No e-mail em causa, Paulo Gonçalves, assessor jurídico do clube da Luz, pede a Ana Zagalo, funcionária do Benfica, que reserve dois convites no nome de Ferreira Nunes, antigo dirigente do Conselho de Arbitragem, na “altura em que o Benfica defronta o Dortmund, na Liga dos Campeões”.

Para Francisco J. Marques, esta mensagem prova que “Ferreira Nunes tem estadias pagas pelo Benfica” e trata-se de “um exemplo concreto da teia do poder que o Benfica tentou criar”.

“Este é um email de março de 2017 enviada para por Paulo Gonçalves para a funcionária Ana Zagalo: ‘Reserva um quarto no meu hotel, de 8 para 9, em nome de Ferreira Nunes e reserva dois convites’”, revelou o diretor de comunicação do FC Porto.

“A que propósito tem ainda hoje o Benfica estas deferências para com Ferreira Nunes? Tem porque esteve ao serviço do Benfica até terminar o seu mandato como responsável pelas classificações do Conselho de Arbitragem que provocou descidas de notas como a do Rui Costa”, apontou.

Ainda na terça-feira à noite, Francisco J. Marques revelou outras situações “escabrosas” semelhantes a esta. Por exemplo: a 27 de março de 2017, Paulo Gonçalves mandou convites para Nuno Cabral, Ferreira Nunes e Júlio Loureiro.

“Estas coisas fazem-se em Portugal sem, que se saiba, nada aconteça. Há pedidos para observadores, delegados, pessoas ligadas à Liga, à FPF. A teia de poderes do Benfica fica muito clara nestas coisas”, disse.