Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Mensagem voodoo disse a Lukaku para sair do Everton para o Chelsea. No final, acabou no United

No último verão, o belga Romelu Lukaku foi fazer uma “peregrinação” a África e recebeu mensagem voodoo: devia deixar o Everton e regressar ao Chelsea, revelou Farhad Moshiri, acionista maioritário dos toffies, em declarações ao “Guardian”

Expresso

Romelu Lukaku: do Everton para o Manchester United por 85 milhões de euros

AARON M. SPRECHER/Getty

Partilhar

No último verão, o belga Romelu Lukaku foi fazer uma viagem a África e regressou de lá com uma mensagem voodoo. Devia deixar o Everton e mudar-se para o Chelsea. E sim, isto é uma história verdadeira.

Segundo Farhad Moshiri, acionista maioritário do Everton, em declarações ao “Guardian” esta semana, foi essa “missiva religiosa” que virou a cabeça do avançado belga e fê-lo rejeitar a proposta de renovação milionária que o clube lhe estava a oferecer.

Lukaku estava decidido a sair, regressar ao seu antigo clube, e nem um salário de 140 mil libras semanais (cerca de 170 mil euros) o conseguiu prender ao Everton.

No final, ironia das ironias, o avançado belga saiu do Everton mas para o Manchester United, equipa orientada por José Mourinho, a troco de 85 milhões de euros. Mas não foi por falta de tentativas dos “toffies” em seduzi-lo.

“Gastei dois verões com o Lukaku a tentar que ele ficasse [no Everton]. No primeiro, gastei três meses com o agente dele, ele próprio, a sua mãe e restante família para o manter durante mais um ano”, contou o milionário Farhad Moshiri ao matutino britânico.

No verão de 2017, quando Lukaku tinha decidido regressar ao Chelsea, Farhad Moshiri cobriu todas as propostas que o clube de Abramovich tinha feito ao belga. “Oferecemos-lhe uma proposta melhor que a do Chelsea. O quer que eles ofereciam, nós cobriamos e subíamos, mas ele não queria ficar. Ele queria jogar pelo Chelsea naquele momento”, lembrou.

O Everton fez de tudo para o manter. Até ao momento em que Lukaku revelou a sua motivação. Estavam numa reunião e o avançado já tinha um contrato à sua frente para assinar; havia jornalistas de fora da sala.

“Se vos dissesse o que lhe oferecemos vocês não iam acreditar. Nós oferecemos-lhe uma proposta melhor que a do Chelsea e o seu agente veio ter connosco para assinar o contrato. Robert Elstone, chefe executivo do Everton, estava lá, estava tudo pronto. Durante a reunião, o Romelu ligou à mãe. Depois disso, ele contou que tinha estado numa peregrinação em África ou noutro lado qualquer e que teve um voodoo, recebeu uma mensagem que se devia mudar para o Chelsea”, contou Farhad Moshiri. E assim o futuro do belga tinha decidido - mais ou menos.