Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

O VAR anda a dar asneira no campeonato italiano

Patrick Cutrone, do Milan, cabeceou a bola, dentro da grande área da Lazio, mas foi com o braço direito que a desviou para dentro da baliza da equipa adversária. O lance passou despercebido ao VAR

Expresso

Antes de jogar (bom, estar) no Benfica e no QPR, Taarabt jogou no AC Milan

Claudio Villa

Partilhar

Se em Portugal a entrada do vídeo-árbitro (VAR) em campo esta época não está a decorrer sem problemas, em Itália o rebuliço tem sido ainda maior - e com razão. A última jornada da liga italiana foi exemplo disso, conta a “Gazzetta dello Sport” esta segunda-feira.

No jogo entre o Nápoles e o Bolonha, por exemplo, a opção tomada pelo árbitro do encontro de não ir para rever as mãos de Koulibaly na área e pedir ajuda ao VAR (quando seria justificada) e depois atribuir grande penalidade - duvidosa - à equipa napolitana, deixou um registo negro.

Contudo, o momento mais escabroso da jornada ocorreu mesmo jogo entre o Milan e a Lazio.

No domingo, o AC Milan e venceu a Lazio, por 2-1, sendo que um dos golos da equipa de Milão foi marcado de forma irregular.

Patrick Cutrone cabeceou a bola, dentro da grande área da Lazio, mas foi com o braço direito que a desviou para dentro da baliza da equipa adversária. O lance, contudo, passou despercebido ao VAR.

Simone Inzaghi, treinador da Lazio, disse no final do encontro que é “incrível” que os responsáveis do VAR não tenham visto a mão de Patrick Cutrone.

“É incrível. Honestamente, eu não tinha visto [a mão]. Eles vão ter de nos explicar isto. Um livre desviado por um braço… Os meus assistentes disseram e eu perguntei ao Cutrone no final do jogo; ele disse que foi ricochete, mas claramente não foi. Eu só não tinha visto quão óbvio tinha sido”, disse.

“É uma vergonha, contudo temos de lidar com esta situação. As imagens falam por si próprias, não tenho mais nada a acrescentar”, atirou Inzaghi.