Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Benfica. “Pastel amargo, chumbo e ponto”, o que dizem os desportivos do empate

Jonas falhou um penálti, mas redimiu-se aos 97 minutos com a marcação soberba de um livre. Ainda assim, o empate de segunda-feira à noite ficou com travo amargo para o Benfica, escrevem os desportivos

Expresso

MIGUEL A. LOPES/LUSA

Partilhar

O Benfica empatou quando estava obrigado a ganhar para se manter na luta pelo campeonato, para pressionar o FC Porto e o Sporting. Mas em noite um pouco inspirada de Jonas, o Belenenses quase levou a melhor.

O avançado brasileiro do Benfica falhou um penálti, mas redimiu-se aos 97 minutos com a marcação soberba de um livre. Ainda assim, o empate de segunda-feira à noite ficou com travo amargo.

Segundo a “Bola” esta terça-feira, o pastel de Belém “oferecido” pelo Belenenses deixou um mau sabor no âmago da equipa encarnada - o ataque possível à liderança foi falhado. A manchete do dia: “Pastel amargo”. Um Benfica sem soluções para além de Jonas não se soube reinventar em campo ou ter faísca de génio, escreve.

O “Record”, por sua vez, sublinha esta terça-feira o resgate de um ponto conseguido por Jonas ao cair do pano e diz mesmo que o empate foi o “mal menor” para o Benfica; segundo o desportivo, os encarnados não souberem aproveitar as fragilidades do Belenenses.

Já o “Jogo”, não muito longe do olhar dos outros desportivos, decretou um “chumbo no ataque ao topo” do campeonato pelo Benfica. Mais: “Bruno Paixão [o árbitro] estendeu o jogo por mais cinco minutos de jogo e Jonas salvou um ponto”, lê-se no destaque da primeira página.