Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Gomes da Silva: os “míseros 50% de taxa de sucesso” de JJ, BdC que se demita e Rui Rangel como um “caso externo” ao Benfica

O ex-dirigente benfiquista aproveitou a derrota dos leões por 2-0 diante do Estoril para atacar a equipa liderada por Bruno de Carvalho

Expresso

Partilhar

Depois da primeira derrota do Sporting para o campeonato, veio a bonança - para Rui Gomes da Silva.

Esta segunda-feira, o ex-dirigente benfiquista aproveitou a derrota dos leões por 2-0 diante do Estoril, para atacar a equipa liderada por Bruno de Carvalho, na crónica mensal que assina no blogue “Novo Geração Benfica”.

O primeiro alvo foi JJ: o ex-vice do Benfica lembrou os “míseros 50% de taxa de sucesso” que o técnico teve na Luz, “apesar das equipas fantásticas que teve”. “Jesus tarda… mas não falha”, diagnosticou.

Depois, virou-se para Bruno de Carvalho. Segundo Gomes da Silva, BdC dá sinais as últimas ameaças de demissão são sinais de “desespero”.“Uma demissão que só espero que não se concretize ou que – no limite – sirva para se poder candidatar de novo! Porque com o homem por lá... nós sempre fomos campeões por cá! E, se em equipa que ganha não se mexe... a dirigente que nos dá o tetra... não se pode deixar sair!”, escreveu.

Ainda no mesmo texto, Rui Gomes da Silva comentou a dita “Operação Lex”, que envolve o juiz desembargador Rui Rangel e em que o nome de Luís Filipe Vieira aparece associado.

Rui Rangel é “um caso externo ao Benfica que por lá deve continuar” e lembra “quem trouxe a pessoa para dentro do Benfica e que agora quererá dar a ideia de que a questão deve ser meramente da esfera e da responsabilidade do presidente”, defendeu.