Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Polícia espanhola encontrou gotas de sangue na casa de Rúben Semedo

Semedo é acusado de tentativa de homicídio, ofensas à integridade física, roubo com violência, ameaças, sequestro e uso ilegal de arma de fogo

Expresso

NurPhoto

Partilhar

Na quinta-feira, quando Rúben Semedo, defesa-central português que alinha pelo Villarreal, foi colocado em prisão preventiva, a juíza de instrução de Llíria, em Valência, baseou-se em duas provas apresentadas pelas forças policiais: a descoberta de gotas de sangue da vítima na casa do jogador e de ameaças feitas por mensagem a partir do telemóvel do futebolista português, escreve o “Correio da Manhã”.

Semedo é acusado de tentativa de homicídio, ofensas à integridade física, roubo com violência, ameaças, sequestro e uso ilegal de arma de fogo.

Segundo o matutino, o jogador português foi colocado em prisão preventiva por considerar que existe perigo de fuga e continuação da atividade criminosa. Mais: a juíza emitiu mandados de captura internacionais contra os dois amigos cúmplices nos crimes.

De acordo com a Guardia Civil, ambos apanharam um avião no aeroporto de Valência no dia a seguir à apresentação da queixa – a 13 de fevereiro – em direção a Portugal.