Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Caso e-toupeira. Escutas apontam conspiração contra FC Porto e Sporting, diz o JN

A Polícia Judiciária terá interceptado contactos – escutas telefónicas –estabelecidos pelos funcionários judiciais em que estes conspiravam com Paulo Gonçalves contra os outros dois grandes clubes nacionais

Expresso

ANTONIO COTRIM/LUSA

Partilhar

Além de tentar obter informações sobre o caso dos e-mails, Paulo Gonçalves, assessor jurídico do Benfica constituído arguido no processo “e-toupeira”, terá também utilizado os mesmos contactos dentro do tribunal de Guimarães para obter informações sobre processos relacionados com FC Porto e Sporting ainda em segredo de justiça, avança “Jornal de Notícias” esta quinta-feira.

A Polícia Judiciária (PJ) terá interceptado contactos - escutas telefónicas - estabelecidos pelos funcionários judiciais em que estes conspiravam com Paulo Gonçalves contra os outros dois grandes clubes nacionais.

De acordo com o matutino, estão em causa inquéritos pendentes do Ministério Público ao Sporting e ao FC Porto ainda em segredo de justiça.

O teor das intercepções telefónicas e vigilâncias consolidou os dados resultantes de uma auditoria informática levada a cabo pelo Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça, escreve o “JN”.