Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Caso e-toupeira. PJ suspeita que existem mais duas toupeiras do Benfica, diz o JN

O “JN” revela que uma auditoria do Instituto de Gestão financeira e Equipamentos de Justiça detetou acessos ao inquérito dos emails, no programa Citius, “não só a partir de tribunais do distrito de Braga”, mas também de tribunais na zona centro do país - Aveiro e Santarém.

Expresso

Paulo Gonçalves tinha sido constituído arguido no caso dos e-mails há alguns meses. Agora é suspeito de corromper funcionários judiciais

Partilhar


O caso ‘e-toupeira’ continua a aumentar de dimensões. Segundo o “Jornal de Notícias” esta sexta-feira, a Polícia Judiciária tem suspeitas de que existam pelo menos mais duas toupeiras no sistema de justiça que atuaram a favor dos interesses doBenfica.

O “JN” revela que uma auditoria do Instituto de Gestão financeira e Equipamentos de Justiça detetou acessos ao inquérito dos emails, no programa Citius, “não só a partir de tribunais do distrito de Braga”, mas também de tribunais na zona centro do país - Aveiro e Santarém.

Lembremos que, na terça-feira, a Polícia Judiciária deteve o funcionário judicial do IGFEJ José Silva e Paulo Gonçalves, assessor jurídico do Benfica, no âmbito da operação e-Toupeira e constituiu mais arguidos do setor da justiça.