Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Grécia. Presidente do PAOK invade campo com arma à cintura e ameaça árbitro

No domingo à noite, Ivan Savidis, presidente do PAOK, entrou em campo, com uma pistola no coldre, e terá ameaçado o árbitro da partida com o AEK de morte. As autoridades gregas já emitiram um mandado de detenção

Expresso

AFP Contributor

Partilhar

Se os deuses do Olimpo ainda não estão loucos, pouco faltará - tendo em conta o que se passou no domingo à noite em Salónica. Ontem, o embate entre o PAOK e o AEK de Atenas teve ser suspenso já nos últimos minutos de jogo, após uma invasão de campo.

Ivan Savidis, presidente do PAOK, entrou em campo, com uma pistola no coldre, e terá ameaçado o árbitro da partida de morte, de acordo com o desportivo espanhol “AS”. Há imagens a circular na internet em que dá para ver o presidente do clube grego com a arma à cintura.

O árbitro Georgios Kominis anulou um golo ao caboverdiano do PAOK, Fernando Varela, por fora de jogo, já em tempo de descontos; este golo a princípio foi validado, mas poucos minutos depois, após conversar com os seus assistentes, o árbitro anulou-o.

Já esta segunda-feira, as autoridades gregas emitiram esta um mandado de detenção contra o presidente do PAOK. O mandado é também referente a outras quatro pessoas, escrevem os media gregos.

Em reação ao sucedido, o vice-ministro da cultura e do desporto da Grécia, Yorgos Vassiliadis, disse que o Governo não permitirá que os interesses de alguns coloquem em causa o futebol grego e deixou no ar a possibilidade de uma possível suspensão do PAOK na Liga.

"O que vimos é um ataque à honra do futebol grego, fizeram mal ao clube e aos seus adeptos. Entrar em campo com uma pistola é uma provocação inadmissível, independentemente do que tenha acontecido”, disse, por sua vez, o ministro do interior, Panos Skurletis.