Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Bruno de Carvalho ouvido no DIAP e constituído arguido, diz o “Record”

Presidente do Sporting é acusado de difamação e devassa da vida privada, violação de correspondência ou de telecomunicações e instigação pública a crime

Expresso

MANUEL DE ALMEIDA

Partilhar

Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, foi constituído arguido do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) num processo judicial, na segunda-feira, depois de ser ouvido no âmbito de uma queixa-crime interposta por João Pedro Paiva dos Santos, revela o “Record”.

De acordo com o desportivo, BdC é acusado de difamação a devassa da vida privada, violação de correspondência ou de telecomunicações e instigação pública a crime.

Além de BdC, vão ser inquiridos pelo DIAP o diretor de comunicação dos leões, Nuno Saraiva, bem como Rui Miguel Mendonça e Sérgio Sousa, ambos da direção da Sporting TV.

Na origem da queixa-crime está uma publicação de Facebook de Bruno de Carvalho. Nesta, o presidente leonino acusa Paiva dos Santos de se coordenar com Pedro Guerra, comentador do Benfica, no sentido de pedir uma auditoria ao primeiro mandato do atual líder leonino - entre 2013 e 2017.

“Não podemos admitir mais este tipo de sportinguistas que são capazes de vender a alma ao diabo”, escreveu BdC na época.

Segundo o “Record”, Paiva dos Santos interpôs a queixa-crime no DIAP em maio do ano passado, o mês seguinte à publicação de BdC nas redes sociais.