Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

PJ trava emprego a sobrinho de toupeira no Benfica, diz o “JN”

O assessor jurídico do Benfica, Paulo Gonçalves, já tinha enviado o currículo do sobrinho do funcionário judicial que servia de toupeira para os recursos humanos do Museu Cosme Damião, escreve o Jornal de Notícias” esta terça-feira

Expresso

Luís Filipe Vieira e Paulo Gonçalves, presidente e assessor jurídico do Benfica, têm sido visados pela justiça

JOSÉ COELHO / LUSA

Partilhar

Segundo a tese de investigação do Ministério Público, além de bilhetes para jogos no Estádio da Luz, Paulo Gonçalves, assessor jurídico do Benfica, também terá oferecido como suborno postos de trabalho no clube encarnado. A notícia avançada esta terça-feira pelo “Jornal de Notícias” vai nesse mesmo sentido.

Não fosse o caso da operação e-toupeira já ter vindo a público, a intervenção lançada pela Polícia Judiciária, um sobrinho do oficial de justiça do Tribunal de Guimarães suspeito de ser a principal toupeira dos encarnados no sistema de justiça já teria sido contratado pelo Benfica para trabalhar no Museu Cosme Damião - o museu do Benfica.

Na prática, a operação “e-toupeira” travou esta contratação. De acordo com o “JN”, no passado dia 6 de março, o assessor jurídico da SAD, Paulo Gonçalves, foi apanhado na posse de um currículo do familiar do funcionário judicial.

Mais: o assessor do Benfica, de acordo com o matutino, já tinha enviado o currículo do sobrinho da “toupeira” para os recursos humanos do Museu Cosme Damião.