Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Há penálti sobre Ricardo? Soares agrediu Yebda? Os lances de Belém vistos pelos especialistas

O momento mais polémico do encontro foi a desavença entre Soares e Yebda, ao minuto 63. Há quem defenda quem devia ter sido mostrado o cartão vermelho, há quem diga que teria bastado uma repreensão verbal

Expresso

Gualter Fatia

Partilhar

A seis jornadas do fim, a duas semanas do clássico na Luz, o tropeção do FC Porto frente ao Belenenses ofereceu o primeiro lugar do campeonato de bandeja ao Benfica. Foi um jogo trapalhão, rocambolesco, mas em que a arbitragem, em grande parte, ficou de fora da discussão depois do final do encontro.

Esta terça-feira, fala-se muito das falhas dos dragões e da sorte da equipa de Belém, pouquíssimo da arbitragem. O encontro não teve assim tantas jogadas que levantassem dúvidas, escrevem os desportivos.

Os três especialistas em arbitragem do “Jogo”, por exemplo, concordam com a decisão do árbitro Hugo Miguel, quando, ao minuto 55, decidiu não assinalar uma grande penalidade sobre Ricardo.

“Por duas vezes houve quedas consecutivas não faltosas. Decidiu bem ao não assinalar penálti”, escreveu José Leirós.

Os mesmos especialistas também apoiam também a decisão do árbitro de assinalar falta, quando Filipe, ao minuto 70, derrubou Licá. Para Fortunato Azevedo, “há um derrube de Felipe a Licá. Falta bem assinalada”.

“Felipe foi ingénuo. Colocou o braço esquerdo no dorso de Licá, e este à boa maneira do jogador português, tirou proveito disso, teatralizando”, apontou Jorge Coroado.

O momento mais polémico do encontro terá sido mesmo a desavença entre Soares e Yebda, ao minuto 63. Mereceria o brasileiro o cartão amarelo? “Foi um arrufo entre meninos mal comportados que, em rigor, se pode considerar atitude antidesportiva, merecedora de cartão amarelo”, segundo Jorge Coroado.

Já José Leirós, no mesmo desportivo, manifestou uma opinião contrária. “Podia ter visto o cartão amarelo, mas mais do que essa cor, não. No entanto, Hugo Miguel resolveu bem, com o mesmo critério”, justificou.

Marco Ferreira, no “Record”, defendeu a aplicação de uma medida mais severa. “Na área do Belenenses, Soares envolve-se com adversários, acabando por agredir Yebda, atingindo a cara do adversário com a mão. Cartão vermelho por exibir conduta violenta. O árbitro estava em perfeita posição para analisar a jogada”, apontou.