Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Fisco espanhol. Assessores fiscais de Cristiano Ronaldo interrogados em Madrid

O Fisco espanhol exige que o CR7 se declare culpado das acusações e pague 29 milhões de euros

Expresso

RODRIGO JIMENEZ

Partilhar

Os assessores fiscais de Cristiano Ronaldo, que foram tornados arguidos no processo que envolve o atleta português e o Fisco espanhol, foram esta sexta-feira de manhã ao tribunal de Pozuelo, em Madrid, para serem interrogados pela juíza Mónica Gómez Ferrer, avança o “AS”.

Segundo o desportivo, a decisão da juíza sobre este caso estará para breve; contudo, dificilmente será abonatória para Cristiano Ronaldo, tendo em conta o histórico de outras situações semelhantes.

Ao que tudo aponta, escreve o “AS”, será aplicada a “doutrina Messi”, ou seja, poderão ser imputadas responsabilidades pelas contas de CR7 aos assessores fiscais, mas estes não serão nunca (salvo casos excepcionais) os únicos autores do delito.

Por outras palavras: apesar de CR7 já ter dito por várias vezes que ele não era responsável pela gestão das suas finanças, terá de arcar com as consequências das responsabilidades delegadas. Em juridiquês: deixou de existir o caso para “ignorância deliberada”.

Neste momento, o Fisco espanhol exige que o CR7 se declare culpado das acusações e pague 29 milhões de euros, de como forma de reduzir a pena de prisão para 24 meses de pena suspensa.