Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

O que se diz sobre Bruno de Carvalho: a falta de condições, a “depressão”, a saída provisória e o “desequilíbrio profundo”

O dicionário diz-nos que "notáveis" são as pessoas dignas de atenção. Se a notáveis juntarmos Sporting, então temos que ler e ouvir o que alguns dos sportinguistas mais populares - incluindo dirigentes, ex-dirigentes ou até antigos ministros - disseram sobre Bruno de Carvalho e a confusão que se está a passar no clube. Há quem diga que o presidente dos leões está desequilibrado e outros que aconselham a tirar uma licença médica

Expresso

NurPhoto

Partilhar

Os que estão contra Bruno de Carvalho

Jaime Marta Soares, presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting - o crítico e misterioso ("A Bola TV"):

"Entendo que o senhor Bruno de Carvalho não tem condições para continuar à frente do Sporting. E ele saberá bem o que eu estou a dizer e porque estou a dizer, porque há muita gente que sabe bem que se há coisas que se há coisas que são do conhecimento público, outras não são. Ele com certeza saberá bem que o melhor é ele pedir a demissão.

A única coisa que desejo é que lhe desejo é que fique pelas coisas boas do Sporting e não por coisas más. É essa a minha única intenção, para que saia pela porta grande, como grande presidente. As minhas últimas decisões são para que fique como um grande presidente. Só Bruno de Carvalho, que é inteligente e capaz, terá em mente o que é bom e mau para o Sporting e ele optará pelo melhor e sabe o que tem de fazer."

António Pires de Lima, ex-ministro da Economia - o pró-Marta Soares ("Record")

"Acho que as pessoas que, até agora, foram o sustento de credibilidade do candidato e presidente Bruno de Carvalho são, agora, os primeiros que, com críticas, demonstram uma enorme preocupação, estão está tudo dito. Sinto-me totalmente representado pelas palavras do Dr. Jaime Marta Soares.

Independentemente do juízo que se faça do trabalho do presidente do clube até ao momento, os últimos tempos foram caóticos, levando a uma situação irreversível, que só se resolve com eleições e um virar de página. O que aconteceu entre presidente, equipa técnica e jogadores é inimaginável.

O clima de clivagem com os sócios, responsáveis técnicos e plantel é verdadeiramente insustentável. Por tudo isto, como disse, sinto-me totalmente representado no insuspeito Jaime Marta Soares, até porque ele foi um apoiante de Bruno de Carvalho desde a primeira hora, inclusivamente quando ainda ninguém o apoiava, emprestando-lhe a credibilidade que, entretanto, o presidente perdeu."

Dionísio Castro, antigo atleta do Sporting - o crítico que traça o diagnóstico ("A Bola TV")

"Bruno de Carvalho só pode estar doente, com um desequilíbrio profundo, e deve colocar o lugar à disposição de imediato. Ele precisa urgentemente de ser tratado, precisa de abandonar, já chega. Fez muito pelo Sporting, mas está a afundar um clube com história e títulos. Por este andar, estamos em vias de extinção com pessoas como este senhor."

Os que ainda o apoiam ou criticam, mas só assim-assim

Filipe Soares Franco, antigo presidente do Sporting - o comedido ("Record")

"Penso que o ideal é esperar um mês ou um mês e meio e, então sim, tomar uma decisão, seja ou não a marcação das eleições. Não quero entrar na luta. Sou um crítico da atual direção, mas acho que tem de ser ela a resolver a situação."

Abílio Fernandes, ex-vice-presidente do Sporting e membro do Conselho Leonino - o crítico agradecido com uma sugestão ("A Bola")

"Sou uma pessoa que não mudo de cara. Confiei no Bruno de Carvalho, acho que foi um homem essencial no período de má memória que o Sporting atravessou, mas não aprovo, nem entendo, estas últimas atitudes. Acho que, nesta altura, Bruno de Carvalho deve fazer uma reflexão muito grande, analisar os prós e os contras e colocar o lugar à disposição.

Acho que Bruno de Carvalho tem problemas de saúde graves, acho que está com uma depressão. Do meu ponto de vista, se fosse eu o presidente do clube, provavelmente abandonaria durante três ou quatro meses, até ao conselho do médio. Um afastamento provisório era o melhor caminho."

Sérgio Abrantes Mendes, ex-presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting - o crítico de tudo, no geral ("O Jogo")

"Vejo uma AG com preocupação porque parece-me igual à de 17 de fevereiro, onde ninguém sabe quem contou os votos, quantos eram válidos, quantos eram válidos, quantos nulos, quantos brancos ou quantas abstenções. Foi uma AG de selvagens, que fazia lembrar o tempo do PREC, em que sócios foram ameaçados e perseguidos e em que se avançou para a votação sem a discussão prévia dos pontos de trabalho.

Tudo sob o beneplácito do Dr. Marta Soares, de toda a Mesa da AG, do Conselho Fiscal e Disciplinar e da guarda pretoriana de Bruno de Carvalho. Este vai, de uma vez por todas, ter de dizer se tem, ou não, medo de se sujeitar ao veredito dos sócios. E não se trata de quatro mil sócios, mas de um universo muito mais alargado. Aí é que se vê quem tem, ou não, coragem e quem acredita, ou não, nos sócios do Sporting."

E os que estão com o presidente

Eduardo Barroso, antigo presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting - o fiel apoiante ("SIC"):

"Há um ser humano também, não é só o presidente, que está a ser linchado na praça pública. Pode ter cometido erros, até eu que sou apoiante dele o reconheço. Mas ele está num stress brutal e precisa de descansar. Ele fez mal em partilhar a publicação, assim como fizeram mal os jogadores, que tinham combinado reunir com o presidente no domingo e depois fizeram o comunicado. É incoerente da parte deles e estou à vontade para dizer isto, pois adoro os jogadores.

O presidente da Mesa da Assembleia Geral está a mostrar ingratidão e deslealdade que ofende. Há um ano, 90% dos sócios votaram nele e, na última AG, alcançou a mesma votação. Temos de afastar a questão dos insultos e dos lenços brancos. Deixem o Bruno de Carvalho em paz, pois salvou o Sporting."

  • “A saída de Bruno de Carvalho não vai ser pacífica porque ele ignora o que muitos megalómanos ignoram.” Por Daniel Oliveira

    Crónica

    Ainda antes de Bruno de Carvalho se ter tornado o vulcão do Facebook, Daniel Oliveira explica um encontro com o presidente do Sporting no qual descobriu um homem provido de particular “inteligência social”. Agora, perante o “desequilíbrio emocional crescente” de Bruno de Carvalho, Daniel Oliveira diz que chegou a hora de lhe mostrar gratidão mas também de preparar a despedida. E esta crónica começa com uma pergunta: “Como é que o que parece tão aberrante a tanta gente, pela sua falta de educação evidente, conquista cerca de 90% dos votos?”