Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Promoção do Wolverhampton à Premier League pode estar em causa. E a culpa é de Jorge Mendes

Seis meses antes de comprarem os “Wolves”, os chineses da Fosun adquiriram uma participação na agência de Jorge Mendes, revelou o director da equipa, Laurie Dalrymple, em entrevista à “SkyTV” esta semana

Expresso

© Stefan Wermuth / Reuters

Partilhar

A promoção do Wolverhampton, equipa treinada por Nuno Espírito Santo, ao nível máximo da Premier League pode estar em causa. E a culpa é de Jorge Mendes, o super-agente futebolístico português. Confusos? Se sim, é com razão.

De acordo com o “Guardian” esta quarta-feira, a equipa treinada por Espírito Santo terá de explicar em breve à federação de futebol britânica o tipo de relação que existe entre os “Wolves” e Jorge Mendes, dado que a subida de divisão foi conseguida graças a um treinador e muitos jogadores ligados ao super-agente.

Segundo as regras do Federação Inglesa de Futebol, é proibido que uma equipa tenha investimentos em empresas de agenciamento de jogadores; já no sentido contrário, é também proibido aos agentes “influência material” na vida e assuntos internos do clube.

No último verão, os donos dos Wolves desde julho de 2016, os chineses da Fosun, confirmaram que a empresa tinha uma participação na Gestifute, a agência de Jorge Mendes. Ou seja, escreve o matutino britânico, isto pode pôr o Wolverhampton em situação irregular.

Seis meses antes de comprarem os “Wolves”, conta o jornal, a Fosun adquiriu uma participação na agência de Jorge Mendes, revelou o director da equipa, Laurie Dalrymple, em entrevista à “SkyTV” esta semana.

Desde a compra da Fosun, Jorge Mendes esteve, então, envolvido em muitos dos negócios do clube. O agente português foi o responsável pela contratação de Nuno Espírito Santo e muitos jogadores lusos.