Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Soares foi derrubado? O golo de Reyes foi bem anulado? Acuña devia ter levado o segundo amarelo? O que dizem os especialistas em arbitragem

Num clássico, um penálti pode fazer toda a diferença. Aos 53 minutos, houve um momento de vertigem para os adeptos de ambos os lados da bancada. Coates, Mathieu e Soares meteram-se num imbróglio que poderia ter dado penálti para o FC Porto

Expresso

Gualter Fatia

Partilhar

Um jogo com 120 minutos e que acaba em penáltis é sempre um jogo difícil de arbitrar. E essa tarefa torna-se ainda mais difícil se as duas equipas forem o Sporting e o FC Porto. Contudo, Jorge Sousa, o juiz da partida, esteve ao mais alto nível e decidiu corretamente os principais lances polémicos do encontro, escrevem os especialistas em arbitragem do “Jogo” esta quinta-feira.

No final, foi mesmo a lotaria dos penáltis que acabou por decidir o resultado do encontro.

Minuto 53 - Soares foi derrubado?

Num clássico, um penálti pode fazer toda a diferença. Aos 53 minutos, houve um momento de vertigem para os adeptos de ambos os lados da bancadas. Coates, Mathieu e Soares meteram-se num imbróglio que poderia ter dado penálti para o FC Porto.

Contudo, o árbitro decidiu não assinalar nada. Para os três especialistas em arbitragem do “Jogo”, Jorge Sousa tomou a decisão correta. “O defesa tira a bola de forma correta, Mathieu vem de carrinho e é claro que a bola bate de forma casual. Esteve bem Jorge Sousa em nada assinalar”, escreveu Fortunato Azevedo no desportivo.

Minuto 87 - O golo de Reyes foi bem anulado?

Quando faltava pouco para o fim dos 90 minutos regulamentares, Reyes deu um banho de água fria ao Sporting, ao marcar a Rui Patrício. Porém, Jorge Sousa esteve bem. Viu que havia um fora de jogo, consultou o VAR e tomou a decisão apropriada.

“Felipe estava em fora de jogo no momento em que o colega cabeceou. Assim, a intervenção do assistente e, eventualmente, do VAR foi preciosa”, escreve Jorge Coroado no “Jogo”.

Minuto 113 - Acuña devia ter levado o segundo amarelo?

Poderia a expulsão de Acuña ter alterado alguma coisa no jogo? Nunca saberemos. Segundo José Leirós, o árbitro esteve bem em não mostrar o segundo amarelo.

“Na linha das decisões anteriores, o árbitro viu bem que Acuña ainda tentou evitar o pior, desviando a perna, embora tocando no adversário”, escreveu.

Por sua vez, Fortunato Azevedo defendeu uma opinião contrária. “Acuña merecia o segundo cartão amarelo, travou um contra-ataque prometedor do FC Porto”, apontou.

  • Jogo, joguinho, jogão

    Futebol nacional

    Não foi exatamente bem jogado, mas foi um clássico com drama, muita emoção (porque o bom do futebol também é isso) e em que as decisões só apareceram mais de duas horas após o apito inicial. E aí, nas grandes penalidades, o Sporting foi melhor que o FC Porto. Está na final da Taça de Portugal, troféu que pode juntar à Taça da Liga, que já venceu esta época