Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Sócio do Sevilha escreve no livro de reclamações depois de goleada com o Barça: “O espetáculo em campo foi dantesco”

Jaime García, sócio 4762 do Sevilha, ficou tão indignado com o resultado frente ao Barcelona no sábado, que decidiu tomar a iniciativa de “puxar as orelhas” à equipa. Na segunda-feira, foi escrever no Livro de Reclamações do clube

Expresso

LLUIS GENE

Partilhar

No futebol, a felicidade e euforia de uns é, não poucas vezes, a tristeza e desilusão de outros.

No passado sábado, foi isso que aconteceu em Sevilha: o Barcelona goleou a equipa de casa por 5-0 na final da Taça do Rei, um resultado pesado (e histórico) que deixou os adeptos do Sevilha magoados e revoltados.

Para piorar ainda a azia dos adeptos, depois da derrota, veio a público que houve jogadores do Sevilha que foram sair à noite, divertir-se, como se nada se tivesse passado.

Segundo a rádio “Cadena Ser”, Jaime García, sócio 4762 do Sevilha, ficou tão indignado com o resultado que decidiu fazer qualquer coisa, tomar a iniciativa de “puxar as orelhas” à equipa.

Na segunda-feira, revela a rádio espanhola, Jaime García apresentou-se no Estádio Ramón Sánchez Pizjuán com o intuito de apresentar uma queixa no Livro de Reclamações do clube. E foi isso que fez.

A “Cadena Ser” teve acesso ao documento e publicou-o no seu site oficial.

Eis a desanca de Jaime García. “À equipa principal do Sevilha, devo dizer-vos que nos humilharam, riram-se de nós, brincaram com os nossos sentimentos. Vocês não merecem vestir esta camisola. O espetáculo em campo foi dantesco e o que fizeram fora, com os adeptos, não tem nome. Riram-se de pais, filhos e avós. Peçam perdão, não merecem usar este emblema”, escreveu.