Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Nuno Almeida com nota negativa na análise à arbitragem

Grandes penalidades, cartões por exibir e um golo cuja anulação deixa dúvidas. A análise dos especialistas à arbitragem de Nuno Almeida.

Expresso

NurPhoto/Getty

Partilhar

A responsabilidade pela derrota do Benfica na Luz este sábado diante do Tondela (2-3) não é assacada à equipa de arbitragem nos desportivos desta manhã, mas isso não é dizer que Nuno Almeida saiu do encontro incólume.

A análise à arbitragem do algarvio é, aliás, consensualmente negativa.

No jornal "A Bola", Duarte Gomes considera que ao minuto 12 ficou um penálti por assinalar a favor do Benfica - por falta de David Bruno sobre Jiménez - e que dois cartões vermelhos terão ficado por exibir a Franco Cervi (32’) e a Rúben Dias (69’), o primeiro por falta sobre Jorge Fernandes e o segundo sobre Tomané.

Também aos 90'+4 deveria ter sido assinalado castigo máximo por falta de Ricardo Costa sobre Raúl Jiménez, na opinião de Duarte Gomes.

“Nuno Almeida, que é um árbitro competente e de forte personalidade, cometeu muitos erros", escreve o ex-árbitro internacional.

No "Record" Jorge Faustino e Marco Ferreira concordam que ficaram no bolso do árbitro dois vermelhos que deviam ter sido mostrados a Cervi e a Rúben Dias.

Já o lance do minuto 12 não é, na opinião dos dois analistas do jornal, passível da marcação de grande penalidade. Sobre um segundo penálti, já para lá do tempo regulamentar, as opiniões dividem-se.

Quanto ao golo que foi invalidado ao Tondela aos 63 minutos, o "Tribunal d'O Jogo" é unânime: o golo foi mal anulado, não houve jogo perigoso de Tyler Boyd. “A única irregularidade foi a aflição de Nuno Almeida em assinalar falta”, escreve José Leirós.

Neste lance, Duarte Gomes e os analistas do "Record" têm opinião diferente. "Falta atacante. Bem invalidada a jogada que acaba com a bola dentro da baliza do Benfica", diz Jorge Faustino.