Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

O que aconteceu no túnel de Alvalade: Carlos Xistra recusou-se a falar com Rui Vitória

Depois de terminados os 90 minutos do dérbi, houve muita tensão no túnel de Alvalade com a troca de alguns “galhardetes verbais” e foi, inclusive, criado um cordão policial de prevenção para evitar confusão

Expresso

Carlos Xistra a rever uma jogada durante o Benfica-Vitória de Guimarães

Pedro Fiuza/Getty

Partilhar

O dérbi do último sábado foi rico em decisões duvidosas por parte do árbitro Carlos Xistra. Por isso mesmo, Rui Vitória quis conversar com ele, no final do encontro. Contudo, tal não chegou a acontecer.

Depois de terminados os 90 minutos de jogo, houve muita tensão no túnel de Alvalade com a troca de alguns “galhardetes verbais” e foi, inclusive, criado um cordão policial de prevenção para evitar confusão. Porém, ao contrário do que tinha vindo à superfície a princípio e da denúncia de Nuno Saraiva, responsável de comunicação do Sporting, nas redes sociais, nada se passou fora do que é normal acontecer após jogos dos grandes, escreve o “Record” esta segunda-feira.

No sábado à noite, Nuno Saraiva denunciou, nas redes sociais, alegadas pressões de Rui Vitória sobre a equipa de arbitragem liderada por Carlos Xistra, no intervalo e no final. “Que raio de fair play é este em que o jogo acaba com Rui Vitória, no túnel, a dar uma de Paulo Gonçalves a querer bater em todos, dizendo ‘não querias falar comigo no final do jogo? Estou aqui meu cobarde! Vem cá, que já vais ver’, com todos os seus capangas a apoiar?”, escreveu.

Pelo que apurou o “Record”, o que aconteceu no túnel de Alvalade não corresponde à descrição feita pelo responsável dos leões.

Vitória apenas quis que o árbitro cumprisse a promessa de falarem fora do campo sobre alguns lances do jogo. Xistra, contudo, acabou por recusar qualquer diálogo, tendo em conta tensão que se vivia no túnel de Alvalade, seguindo o seu caminho. O treinador do Benfica, então, interpelou-o, questionando-o: “Ó Carlos, disseste que falavas comigo e vais-te embora?”

O desportivo questionou Carlos Xistra sobre o sucedido, mas o árbitro preferiu não fazer qualquer comentário.