Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

O desejo de Ferguson: acordou e perguntou se podia ir ver Ronaldo a Kiev

Depois de ter sido vítima de uma hemorragia cerebral, Ferguson acordou já a falar de futebol, conta o “The Sun” esta quarta-feira

Expresso

Ronaldo chegou a Manchester em 2003. Ferguson foi "como um pai" para o jogador.

Partilhar

Como um filho: é assim que Alex Ferguson vê Cristiano Ronaldo. Se ainda existisse alguma dúvida sobre a sinceridade da relação que existe entre o treinador escocês e o jogador português, estas acabaram de ficar esclarecidas - para sempre.

Como um pai altruísta que não quer falhar, mesmo tendo em conta as suas circunstâncias, Alex Ferguson despertou do coma, na terça-feira, e uma das suas primeiras preocupações (e pedidos) foi ir ver Cristiano Ronaldo, o miúdo de 18 anos que levou para Old Trafford e que acabou por tornar-se um dos maiores jogadores da história do desporto, a Kiev, na final da Liga dos Campeões.

Ferguson, que ainda continua nos cuidados intensivos, depois de ter sido vítima de uma hemorragia cerebral, acordou já a falar de futebol, conta o “The Sun” esta quarta-feira.

Primeiro, quis saber como tinha ficado o jogo dos Doncaster Rovers, treinado pelo filho, contra o Wigan; depois, disse que tinha de ir ver o seu adorado Manchester United na final da Taça de Inglaterra com o Chelsea, no próximo fim-de-semana, mas os médicos rejeitaram, quase automaticamente, o seu pedido.

Ferguson, porém, não desistiu. “Ok, a Taça de Inglaterra está fora, e a Kiev, posso ir?”, terá perguntado. Que é como quem diz, posso ir ver o Cristiano?

“Claro que ele adorava ir a Kiev ver o seu antigo jogador, Cristiano Ronaldo, em ação frente ao Liverpool... O Ronaldo vê Sir Alex como um pai. Mas Sir Alex precisa de descansar e seguir à risca as recomendações dos médicos, de modo a recuperar completamente”, disse fonte do Manchester United ao matutino britânico.