Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Ministério Público: ataque à Academia de Alcochete foi combinado

Jorge Jesus foi atingido com um cinto na cara e pontapeado em diversas partes do seu corpo

Expresso

A Operação Cashball incide sobre dirigentes do Sporting e é investigada pela PJ e pelo DIAP do Porto há já alguns meses

Foto Adam Davy/EMPICS Getty Images

Partilhar

Para o Ministério Público, os 23 detidos pelas agressões na Academia do Sporting, em Alcochete, agiram de acordo com um plano previamente combinado para intimidar e agredir os jogadores e elementos da equipa técnica da equipa principal do clube leonino.

Foi esta a tese que o MP defendeu, na quinta-feira, em tribunal, revela o “Diário de Notícias”. De acordo com a procuradora do MP, aquele “bando” atuou com um “forte sentimento de impunidade, demonstrando uma personalidade desviante do direito”.

Eis algumas das ameaças e insultos relatados ao MP pelos jogadores e dirigentes dos leões: “Vocês são uns filhos da puta, cabrões. Vocês são um monte de merda. Vamos-vos matar! Vocês estão fodidos! Vamos-vos arrebentar a boca toda. Não ganhem o jogo no domingo que vocês vão ver.”

Segundo os relatos, os arguidos já iam munidos de tochas, que arremessaram para o recinto logo que chegaram, causando logo queimaduras a um elemento da equipa técnica.

O “DN” escreve ainda que o treinador Jorge Jesus foi atingido com um cinto na cara e pontapeado em diversas partes do seu corpo.