Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Aboubakar em entrevista: Foi o pensamento de Sérgio que inspirou a todos, mas "às vezes era tudo muito quente"

Numa entrevista ao jornal "O Jogo", o avançado do FC Porto passa a época em revista. O papel do treinador no título é amplamente sublinhado, sem deixar de apontar alguma dureza na abordagem em momentos mais difíceis. Aboubakar diz ainda que jogou "dois meses lesionado" e assume-se muito grato a Pinto da Costa.

Expresso

MIGUEL RIOPA

Partilhar

Sérgio Conceição leva a faixa de principal obreiro do campeonato número 28 do FC Porto e Vincent Aboubakar não destoa na análise. Numa entrevista publicada este domingo pelo jornal "O Jogo", o avançado é claro nos elogios: "O treinador acreditou com muita firmeza que íamos ser campeões". "Foi o pensamento do treinador que nos contagiou a todos", afirmou o jogador.

"Às vezes era tudo muito quente"

Uma grande diferença para alcançar o sucesso foi, para o camaronês, a viragem do foco para o interior do reduto portista: "Nas outras temporadas estávamos demasiadamente focados no Benfica e no Sporting, quando o que precisávamos era de olhar para nós próprios", analisou.

O técnico dos dragões tem "ideias muito bem definidas", "uma abordagem boa, mas por vezes dura", confessa Aboubakar, para quem se recomenda um pouco mais de calma nos momentos mais tensos.

“Fomos campeões juntos, é boa pessoa e sabe aquilo que quer dos jogadores, mas quando corre mal, acho que devia ver como fala aos jogadores, porque às vezes era tudo muito quente”, nota.

"Joguei dois meses lesionado"

Vincent Aboubakar terminou a época com 26 golos marcados, o seu melhor registo de sempre, mas o 2018, sobretudo no arranque, foi difícil para o jogador - e para a equipa do Fc Porto - com uma lesão a obrigá-lo a parar em alguns jogos ou a jogar poucos minutos.

Com apenas três golos marcados este ano, o jogador justifica-se: “Posso-lhe dizer que joguei pelo menos dois meses lesionado. Tive de levar umas injeções, mas sacrifiquei-me pela equipa numa altura em que os outros avançados estavam lesionados. Assumi isso e o treinador sabia, porque queixava-me. Da próxima vez terei de parar para descansar e poder regressar em força", declarou na mesma entrevista.

Momento da época? "A segunda parte no Estoril"

Questionado sobre o momento-chave da época para a conquista do campeonato, Aboubakar considerou que foi a reviravolta que o FC Porto operou no marcador, na casa do Estoril, quando foi lá disputar a segunda parte de um jogo interrompido cerca de um mês antes.

"A partir dali houve um sentimento forte de que podíamos ser campeões. Aquele jogo era complicado, logo do ponto de vista mental. Os meus companheiros fizeram o que tinham de fazer para assegurar os três pontos", disse o jogador.

A equipa de Sérgio Conceição vacilou e chegou a deixar a liderança do campeonato, depois de duas derrotas próximas no tempo que serviram para abanar a equipa: "Concedemos duas derrotas que serviram para nos pormos em causa", resume Aboubakar.

O jogador confessou ainda ter percebido a verdadeira dimensão da conquista quando viu o ambiente instalado nos Aliados. "Este plantel vai ficar na história porque quebrou o penta ao Benfica. Para o presidente e para todos, foi muita emoção. Contribuímos para a história do FC Porto", afirmou.

Ao presidente dos dragões, o avançado também deixou palavras de agradecimento: “não é para ser politicamente correto, mas agradeço-lhe muito por tudo”.

Vincent Aboubakar renovou o contrato no início da época até 2021 e é pelo Dragão que se deve manter na próxima época.