Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Frederico Varandas: “Decidi sair quando olhei para aquelas bancadas no Jamor”

Em entrevista à “Bola” esta sexta-feira, o candidato à presidência do Sporting referiu o menos possível o nome de Bruno de Carvalho e preferiu focar-se na sua própria história como adepto do clube

Expresso

d.r.

Partilhar

O êxodo de adeptos do Sporting nas bancadas do Jamor, a meio da segunda parte da final da Taça de Portugal, frente ao Desportivo das Aves, marcou Frederico Varandas, ex-diretor clínico do Sporting e agora candidato à presidência do clube.

“Decidi pedir a demissão [de diretor clínico do Sporting] quando olhei para aquelas bancadas no estádio Nacional, no fim do jogo. Aí pensei: ‘O meu tempo aqui como diretor clínico acabou’. Foi no relvado, ali mesmo no relvado, que decidi”, revelou o próprio, em entrevista à “Bola” esta sexta-feira.

Frederico Varandas, 38 anos, pretende criar uma lista sem nomes ligados ao passado do clube. Ou seja, deixar o legado de Bruno de Carvalho para trás. “Acredito que quem quer o bem do Sporting, vai estar comigo. Seja jogador, seja sócio”, disse.

Durante a entrevista, o candidato à presidência do Sporting referiu o menos possível o nome de Bruno de Carvalho e preferiu focar-se na sua própria história.

“Sou um sócio do Sporting. Um sócio cujo sportinguismo vem do meu avô. Nasci em 1979 e, em 1980, já era sócio. Fui crescendo com o meu avô a levar-me ao estádio para ver treinos, para ver jogos. Aos três anos já era atleta do Sporting na ginástica especial. Depois disso, passei para sócio de bancada, depois em 2011 tornei-me diretor clínico do Sporting e agora… veremos. A única coisa que sei é que farei sempre o meu melhor pelo Sporting”, atirou.