Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Jesus rescinde, Bruno Fernandes ameaçado e providência a caminho

No novo capítulo da novela Sporting as notícias dão conta da saída do treinador do Sporting por mútuo acordo, de ameaças à porta de casa de Bruno Fernandes e de eventuais queixas judiciais contra o presidente do clube.

Expresso

Stringer .

Partilhar

Jorge Jesus chegou a acordo com Bruno de Carvalho para sair do Sporting. A notícia é avançada pelo jornal "O Jogo", e a confirmação deverá surgir amanhã, o dia limite, segundo aquele diário, para ser formalizada oficialmente a rescisão. "Nenhuma das partes terá de ressarcir a outra no valor de oito milhões de euros, verba que Jesus teria de receber em salários no ano de contrato remanescente", assegura aquele desportivo. Jorge Jesus ao que tudo indica tem "um acordo verbal com os sauditas do Al-Hilal, aos quais irá vincular-se por uma temporada, mantendo, porém, uma cláusula de oção por mais uma época". Na Arábia Saudita o ainda técnico dos leões vai "auferir um ordenaod anula livre de impostos de sete milhões de euros, além de outros prémios por objetivos que podem chegar a mais três milhões de euros", adianta o mesmo jornal.

O "Correio da Manhã" avança que Bruno Fernandes prepara-se para apresentar nos próximos dias a carta de rescisão de contrato por justa causa com o Sporting. Carta essa que, segundo o jornal "contém fotografias de alegados membros da claque Juventude Leonina junto à casa do médio numa atitude intimidatória". Recorde-se que logo após as agressões em Alcochete, Bruno Fernandes terá dito aos colegas de equipa "Foi um prazer estar com vocês" tendo de imediato dado ordens à mulher para se deslocar para a zona do grande Porto, de onde o médio é natural. Segundo o "Correio da Manhã", Bruno Fernandes não quer ficar em Portugal e pretende jogar em Espanha ou Inglaterra. O mesmo jornal adianta que Rui Patríci "poderá ser indemnizado em 9,6 milhões de euros se vencer a batalha com o Sporting em tribunal" e que o FC Porto sondou o guarda-redes do Sporting antes de avançar para a renovação com Casillas.

Quanto à batalha entre os orgãos sociais do Sporting, o "Record" assegura que "dada a decisão do Conselho Diretivo (CD) em substituir as competências da Mesa da Assembleia Geral (MAG) e ter nomeado uma comissão transitória, já estão a ser preparadas queixas judiciais que poderão avançar amanhã". O diário desportivo diz que a prioridade é garantir a realização da assembleia geral de destituição marcada para 23 de junho e que este objetivo "poderá ser assegurado por uma mera providência cautelar que resulte numa intimação judicial", que garanta a realização de reunião magna. Outra solução para assegurar a AG é "mais radical" e poderá passar até pela "suspensão de funções de Bruno de Carvalho com efeito compulsivo e e imediato". Os moldes exatos ainda não estão definidos, mas segundo o "Record", é certo que "serão tomadas todas as medidas para evitar que o CD avance para uma ação que é considerada ilegal".