Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Afinal, Wolves batiam 18 milhões a pronto por Rui Patricio

Acordo com o Wolverhampton contemplava uma cláusula antirrivais, contra Benfica e o FC Porto

MIGUEL A. LOPES/LUSA

Partilhar

O Wolverhampton estava disposto a pagar 18 milhões de euros a pronto, através de garantias bancárias que permitiam executar de imediato o total do encaixe, ao Sporting por Rui Patrício, jogador histórico dos leões e guarda-redes da seleção nacional, revela o “Record” esta segunda-feira. O mesmo acordo contemplava ainda uma cláusula antirrivais, contra Benfica e o FC Porto.

Segundo o desportivo, os termos da transferência foram estabelecidos pelo Sporting: este fez chegar ao clube inglês, a 30 de maio, via Gestifute - empresa do super-agente Jorge Mendes -, as exatas condições em que propunha que o negócio se fizesse.

Este negócio fracassou, contudo, já depois de Patrício ter feito os exames físicos para se mudar para Inglaterra.

De acordo com um comunicado da Gestifute, o Sporting pediu, à última hora, mais 2 milhões de euros para que o negócio se concretizasse. Por sua vez, a direcção do Sporting acusou a Gestifute de reclamar sete milhões de euros para si.