Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Crise no Sporting. Bruno obrigado pelos estatutos a mostrar orçamento a Marta Soares

Se Bruno de Carvalho não fizer chegar à mesa da Assembleia Geral o orçamento do clube para a próxima época, os estatutos preveem a possibilidade de perda de mandato e proibição de recandidatura, conta o “Record”

Expresso

MÁRIO CRUZ/LUSA

Partilhar

Foi marcada para dia 17 deste mês, pelo conselho diretivo do Sporting, uma assembleia geral destinada a debater o orçamento e plano de atividades. Por lei, o clube é obrigado ao líder da mesa da Assembleia Geral do clube, ou seja, o demissionário Jaime Marta Soares.

Só que, até ao momento, JMS continua sem receber os documentos correspondentes, nem há perspectiva de que tal venha a acontecer, já que Bruno de Carvalho deixou de lhe reconhecer legitimidade no cargo, escreve o “Record” esta sexta-feira.

Contudo, BdC pode mesmo vir a ser obrigado a mostrar os documentos a Marta Soares. Isto porque, num cenário de litígio judicial que já está desenhado, se for dada razão a Marta Soares e, entretanto, Bruno de Carvalho não fizer chegar à mesa da Assembleia Geral o orçamento, os estatutos preveem a possibilidade de perda de mandato (o afastamento de BdC) e proibição de recandidatura.

Esta cenário acontecerá, de acordo com os estatutos do clube, se Marta Soares for reconhecido como PMAG e BdC não cumprir a entrega da documentação até 15 de junho, excedendo em mais de 15 dias esse prazo.