Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Regresso de BdC à “guerra” bloqueia recuo de jogadores que haviam rescindido contrato

O retorno do nome de Bruno de Carvalho no horizonte futuro do Sporting terá feito recuar os jogadores haviam rescindido contrato e pensavam agora voltar a regularizar a sua situação com o clube

Expresso

Bruno de Carvalho,ontem, ao chegar à Altice Arena. Entrou como presidente, saiu magoado e agora promete deixar de ser sócio

TIAGO PETINGA

Partilhar

Durante 14 horas, o futuro do Sporting escreveu-se sem o nome de Bruno de Carvalho. Mas só por 14 horas. Após ter sido destituído na Assembleia Geral de sábado, o ex-presidente do Sporting anunciou, no domingo de manhã, através de uma publicação no Facebook, que se ia afastar do clube e deixar, inclusive, de seguir qualquer modalidade dos leões.

Esta promessa, contudo, só valeu por 14 horas, até ao surgir da notícia Sousa Cintra iria ocupar a liderança da SAD dos leões. BdC revelou, já no final do dia de ontem, que ir à “guerra”, voltar a candidatar-se à liderança do clube. No domingo, BdC abriu uma janela de regresso aos jogadores que haviam rescindido contrato com o clube, mas pouco depois voltou a fechá-la, conta o “Correio da Manhã”. Uma janela que poderia ajudar as finanças do clube.

Segundo o matutino, a destituição do presidente veio retirar força às rescisões de contrato dos jogadores, pelo que sete dos nove atletas que alegaram justa causa, na sequência dos incidentes de Alcochete, poderiam agora regressar a Alvalade. Na prática, os processos legais que os jogadores tinham perdido força.

Gelson Martins, Bruno Fernandes, William, Battaglia, Bas Dost, Podence e Rúben Ribeiro estariam então mais próximos de regressar ao clube de Alvalade. Contudo, o retorno do nome de BdC no horizonte do Sporting terá, entretanto, feito recuar todos os jogadores que pensavam voltar a regularizar a sua situação com o clube.