Tribuna Expresso

Perfil

Ronaldo

Cristiano Ronaldo vai pagar ao Fisco

Não terá sido um processo fácil, mas lá convenceram CR7 a saldar a dívida que o Fisco espanhol o acusa de não ter pago. Evitar uma possível pena de prisão terá sido a principal razão neste recuo

Katya Delimbeuf

Tony Gentile

Partilhar

Cristiano Ronaldo vai mesmo pagar a dívida fiscal de 14,7 milhões de euros que é acusado de não ter declarado ao Fisco espanhol. Ao todo, foram identificados quatro delitos cometidos entre 2011 e 2014, relacionados com direitos de imagem.

Apesar de o futebolista não querer pagar inicialmente, por considerar que esse ato implicava uma assunção de culpabilidade com a qual não concordava, a sua companhia de advogados, a Baker McKenzie, e o seu clube, o Real Madrid, tê-lo-ão convencido a pagar antes de 31 de julho, data em que Ronaldo irá ser ouvido pelo tribunal de Pozuelo de Alarcón, na capital de Espanha, assegura a imprensa espanhola.

A principal razão é para evitar a prisão - pois como se tratam de quatro delitos, no caso de não haver um acordo, esse seria um risco possível. Mas há outras motivações associadas à decisão do jogador: mostrar "boa vontade para resolver o litígio, como sempre demonstrou", afirmam os seus advogados; saír dos focos mediáticos e permitir a Ronaldo concentrar-se por completo nos seus desafios desportivos; ver a sua multa reduzida em um terço, pagando 10 milhões, em vez de 14,7; e por último, garantir menos perdas juntos dos patrocinadores.

Para este ato, terão sido também providenciais as declarações do presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, à Rádio Cadena Ser, em que defendeu o internacional português. "Ronaldo não é um homem que corra atrás do dinheiro", disse. "Está ferido, e pode ser que tenha razão para se sentir assim, porque não teve intenção de fazer mal a ninguém. Mas Ronaldo não é um negócio, é alguém que faz parte da história do Real Madrid". Estas declarações terão levado Cristiano a a reequacionar a sua saída do clube dos merengues, que já tinha dado como certa.

Recorde-se que outros astros do futebol, como Lionel Messi, foram condenados em processos semelhantes em Espanha. Em maio deste ano, o argentino foi condenado a 21 meses de prisão, por três crimes fiscais, que o acusavam de desviar 4,1 milhões de euros do Fisco entre 2007 e 2009.

Também José Mourinho, acabou de ser acusado pelo ministério público espanhol de defraudar o Estado em cerca de 3,3 milhões de euros, em 2011 e 2012.

Cristiano Ronaldo é no entanto, contundente: o facto de pagar não significa que se sinta culpado, fez saber, pelos seus advogados, segundo os jornais espanhóis.