Tribuna Expresso

Perfil

Ronaldo

Ronaldo disse sim à Juventus “há muito”, mas o Real Madrid continua em ‘nim’

O português já assumiu perante a Juventus que quer jogar em Itália, mas o clube espanhol continua a empatar a sua saída. É possível que a contratação de outro craque esteja a atrasar o negócio

Pedro Candeias

Patrick Smith - FIFA

Partilhar

Cristiano Ronaldo já disse à Juventus que aceita a proposta para sair do Real Madrid, os tais 30 milhões por ano, durante quatro anos, o que fará dele o jogador mais caro do plantel da Vecchia Signora.

O português pretende uma nova aventura na carreira e sente-se, digamos, pouco protegido por Florentino Pérez, porque o presidente foi adiando consecutivamente a renovação de contrato –com melhoria de salário – de Cristiano.

Fonte próxima do processo confirma à Tribuna Expresso que Ronaldo “disse sim à Juventus há muito tempo” e que “a questão ainda por resolver é o Real Madrid”.

Os merengues pretendem esticar ao máximo a oferta da Juventus – estima-se que seja de €100 milhões, o valor que ficou acordado entre o Real Madrid e CR7 para uma eventual saída do futebolista – e há duas ideias que correm nos bastidores: que Ronaldo pode, afinal, valer mais do que isso; e que é preciso alguém entrar para Ronaldo sair, de forma a não perder balanço mediático e desportivo. Mediático, porque Ronaldo é quem é e vende camisolas e merchandising e o nome do clube como nenhum outro; e desportivo, porque Ronaldo também é quem é e nenhum outro na história marcou tantos golos em nome do clube.

E é aqui que entram os nomes de Neymar e de Mbappé, dois futebolistas que o Real Madrid gostaria de contratar numa lógica de renovação do plantel, pois não é igualmente líquido que Gareth Bale permaneça em Madrid. Tanto o brasileiro com o francês jogam no PSG e estão ambos a competir no Mundial2018 pelas seleções candidatas a conquistar a competição. De entre os dois, é sobre Neymar que mais se tem escrito em Espanha e em França, mas o jovem avançado gaulês também já foi dado como reforço merengue por €272 milhões, pago em quatro prestações.