Tribuna Expresso

Perfil

Ronaldo

Operação Real-Juventus inflaciona marca CR7? Diretor do IPAM antecipa ganhos: “Ronaldo é o ás de trunfo da modernização da Juventus”

Daniel Sá prevê que o potencial mediático da marca Cristiano Ronaldo, fixado em €120 milhões após a nomeação como Best Player FIFA 2017, vai voltar crescer com a mudança de eixo Madrid/Turim. Troca de emblema potenciará mais patrocínios, crescimento de referências nos media e na web e novos seguidores nas redes sociais

Isabel Paulo

Gonzalo Arroyo Moreno

Partilhar

Daniel Sá refere que os estudos do IPAM que analisam a visibilidade, perfil e valor comercial de Ronaldo desde 2011 - que cresceu quase 50% entre 2015 e 2017 - têm por base uma metodologia que avalia seis parâmetros fixos (receitas, media, web, palmarés, impacto e dimensão social) e 28 variáveis: “E exceção feita à dimensão do clube e sucesso desportivo da seleção, todos os outros critérios mantêm-se em alta ou até com potencial de crescimento”, antecipa.

O diretor do IPAM salienta que uma fenómeno global como Ronaldo não baixa o nível de seguidores nas redes socais por trocar de camisola, mantendo “uma claque de adeptos própria”, nem é previsível que a atenção mediática noticiosa abrande nos próximos tempos, ao contrário do que poderia suceder caso mantivesse a ligação de nove anos ao Real: “Segunda-feira, a chegada a Turim e apresentação no Allianz Stadium vão dominar o espaço noticioso, mesmo com a concorrência do vencedor do Mundial. E nos próximos tempos o circo mediático vai acompanhar todos os seus movimentos e da família, desde a escolha da casa aos espaços que vai frequentar”.

A nível desportivo, Daniel Sá lembra que Ronaldo mantém uma forma física impressionante e uma sempre renovada vontade de vencer, não duvidando que o calcio ganhará nova visibilidade competitiva. “Algo extraordinário para a Juventus e para o futebol italiano”, diz, parafraseando o técnico Massimiliano Allegri. O negócio ou o golpe do século, como o jornal 'Tuttosport', de Turim, classificou a operação dos 'bianconeri'.

ISABELLA BONOTTO

O ás de trunfo

O especialista em marketing recorda que há 20 anos a Liga Italiana era tida como a melhor do mundo, “tendo desde então perdido competitividade e notoriedade para a La Liga e a Premiership”, cenário que, acredita, Ronaldo ajudará a reverter: “O futebol italiano e a Juventus voltam a ter uma estrela global. O último Bola de Ouro a jogar no calcio foi Kaká no Ac Milan, já lá vão 11 anos”.

A equipa heptacampeã de Itália corre atrás da glória fora de portas, em busca da do troféu da Champions, que já não ganha desde 1996. Para Daniel Sá, a operação de 345 milhões de euros - 112 milhões no passe e 60 milhões brutos em salários por época - é mais um sinal da estratégia de rejuvenescimento e ambição da Vecchia Signora, clube que trocou o símbolo clássico do touro no brasão pelo símbolo minimalista 'J'. “Em termos de posicionamento e linguagem visual a Juventus está a modernizar-se para alcançar novos públicos mais globais e Cristiano Ronaldo é o ás de trunfo dessa estratégia”, conclui Sá.