Tribuna Expresso

Perfil

Seleção

Eu já vos tinha avisado que isto ia ser assim - a crónica de um treinador de bancada com azia

A Suíça ganhou (2-0) a Portugal e em cada um de nós começam a nascer aquelas críticas bem portuguesas. Este texto é um apanhado do que se poderá por aí ouvir (ou ler)

Pedro Candeias

Comentários

FABRICE COFFRINI

Partilhar

O que vamos ouvir da boca de cada um de nós, treinadores de bancada com azia no pós-Europeu:

Eu sabia que isto ia acontecer e não digam que não vos avisei, porque avisei. A culpa é da festa, porque isto do futebol não rima com celebrações e cocktails e receções, aqui e ali, com o Marcelo pelo meio, a dar-lhes palmadinhas porque ganharam o Euro. Não, não, senhor. Isto do futebol rima com... Bom, a bem dizer, isto do futebol não rima com quase nada, a não ser com sol e andebol e basquetebol, e beisebol, e cachecol. É o que dá andarmos sempre a reboque dos ingleses e dos americanos, a copiar-lhes as palavras.

Mas, pronto, já perceberam o que quero dizer. Acho muito bem que os rapazes sejam vitoriados e elogiados, mas está na cara que os jornalistas fizeram deles mais do que eles realmente são. E o Engenheiro não me engana com a história de que jogar à bola é uma coisa e jogar futebol é outra; ou a história de que jogar bem é um conceito estranho porque o que interessa é mesmo ganhar - como se ele soubesse o que isso é, o malandro, que chegou à final com empates atrás de empates até àquele golo milagroso do Éder, que não leva acento, eu sei, mas hoje não me venham com preciosismos, que estou com azia.

É que, enfim, perder com Suíça? A Suíça, da última vez que me lembro, era a equipa a quem os números e os nomes dos jogadores se andavam a descolar das camisolas durante o Europeu. Se é que podemos chamar a estes tipos de suíços, porque estou aqui a ver e a ouvir o hino e só um ou dois ou três é que o cantam, o resto é só albaneses, kosovares, africanos.

Suíço é aquele senhor ali na bancada, o Otmar Hitzfeld, a agitar a bandeirinha do país dele, a rir-se do jogo, enquanto o Eder (já não pus acento, vejam lá) faz uma receção desorientada com a canela esquerda e a bola sai pela linha de fundo.

E o Rui Patrício? Então o-melhor-guarda-redes-do-europeu ou lá o que é, não acabou de dar um frango? Ele tinha necessidade de defender para a frente e pôr a bolinha ao jeito do Embolo?

E que raio de meio-campo e de defesa é esta que deixa que três suíços (bom, três meios-suíços) façam o 2-0 em contra-ataque?

E o William? O que é aquilo? Joga parado e paradinho, nem se mexe, e quando toca a correr atrás do Behrami é o espera-lá-que-já-te-apanho. Os quarenta e cinco minutos que esteve em campo, foram quarenta e cinco minutos a mais.

Nâo sei se já vos disse, mas eu já vos tinha dito que isto ia acontecer.

É todo aquele espectáculo que se montou à volta da seleção, dos Aurélios e dos Silvas, da nova geração, do Bernardo e do Rafael, perdão, Raphaël. Tudo fogo de vista. E este treinador não percebe nada disto. Depois, admirem-se de sair ao intervalo a perder por dois; digam-me lá uma equipa que queira ganhar e jogue só com um avançado e um extremo? Lá está. O Engenheiro do empata.

Depois, na segunda parte, querem lá ver que o homem foi pôr o André Silva, aquele puto supernutrido lá de cima, e o Nani ao lado dele, e teve a lata de nos dizer que aquilo era jogar com dois avançados.

Com dois avançados, na minha terra, é o Eder e o André Silva juntos para rebentar com os centrais dos outros. Ou, então, o Eder já não presta. Ou, então, nunca prestou e andámos todos aqui enganados - eu, não, que já vos disse que vos tinha dito.

E, já agora, que estamos aqui a discutir o técnico-tático, porque é que o Engenheiro foi tirar o William ao intervalo? Ele é parado, paradinho, mas tem pezinhos que nenhum outro tem. Ainda por cima, deixou o Adrien sozinho a esfalfar-se a pressionar a malta, para o João Mário e o Bernardo andarem à vontade. Só andaram para trás, pois claro, e eu já vos tinha dito porquê.

Aquilo do Europeu acontece uma vez na vida e a nós já nos aconteceu. Foi sorte e esta acaba-se, ou acabou-se no sorteio de qualificaçãono nosso caso. É que, nos entretantos, o Engenheiro ainda mexeu os cordelinhos lá em cima, porque, além dos suíços, calharam-nos os húngaros, os letões e os far... os habitantes das Ilhas Faroé.

Portanto, o melhor é voltarmos à vidinha de sempre, a contar pontos para tentar chegar ao Mundial na Rússia.

P.S. Fernando Santos perdeu pela primeira vez por Portugal em jogos oficiais; é a sua segunda derrota em campanhas de qualificação