Tribuna Expresso

Perfil

Seleção

Marcelo elogia “herói” Fernando Santos, que potenciou “o melhor” de Portugal

O chefe de Estado elogiou o “caráter, personalidade, capacidade de trabalho e humildade” de Fernando Santos, bem como a forma como o técnico soube retirar o melhor do “conjunto nacional e fazer dele vencedor, descobrindo naquela equipa o que os portugueses têm de melhor”

Lusa

TIAGO PETINGA/LUSA

Partilhar

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, definiu o selecionador nacional de futebol, Fernando Santos, como um "herói" que conseguiu potenciar as melhores caraterísticas dos portugueses, ao levar Portugal à conquista do Euro2016.

"É uma grande alegria elogiar o meu amigo Fernando Santos. Se me dessem a escolher muitas pessoas a quem pudesse elogiar só encontraria mais uma: António Guterres. Os dois marcaram o nosso passado ao serviço de Portugal e do mundo", começou por dizer o Presidente da República, após entregar o prémio 'Personalidade do Ano - Martha de la Cal' ao técnico luso, numa cerimónia que decorreu na Cidade do Futebol, em Oeiras, esta terça-feira.

Marcelo Rebelo de Sousa considerou que Fernando Santos "é um caso especial", classificando-o de "um anti-herói herói", alguém que "não nasceu vocacionado para ser herói e que cresceu a pulso para o ser".

"Nós, que gostamos de desporto, gostamos desses heróis. Uns pensam que são heróis e são mesmo, outros pensam que são, mas não o são. No futebol, Fernando Santos deixou um rasto de admiração, consideração e amizade por onde passou, o que é difícil, em casas tão diferentes", referiu.

"Nós somos muitos bons, temos grandes qualidades, mas nem sempre temos um espírito coletivo. [Fernando Santos] Pegou num conjunto de gente excecional, cada um à sua maneira, e transformou-o numa realidade que é uma. Pegou no que havia de melhor em Portugal e deu o que tem de melhor em si, que é não ter nascido para ser herói e ter-se feito a herói a pulso", salientou.

Marcelo Rebelo de Sousa revelou que "telefonava em alturas incríveis" a Fernando Santos, durante o Euro2016, e que o selecionador "atendia sempre, antes ou depois dos jogos", antes de vincar a importância do triunfo português em França.

"Foi bom acontecer onde aconteceu, porque há muitos emigrantes portugueses em França, que se fizeram a pulso, que viveram em condições sub-humanas e que depois estavam na final a viver essa alegria. Se nós lhe agradecemos [a Fernando Santos], mais agradecem os que vivem fora de Portugal, porque sentiram-se ainda maiores, mais realizados. Em nome de todos os portugueses, quero dizer-lhe que nunca esqueceremos. Todos lhe agradecem um momento que nunca mais esquecerão", concluiu, antes de dar um sentido abraço a Fernando Santos.

Fernando Santos recebeu esta terça-feira o prémio 'Personalidade do Ano - Martha de la Cal', numa cerimónia que contou, entre outros, com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, do secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo.

O prémio 'Personalidade do Ano - Martha de la Cal' é atribuído anualmente e é resultado da escolha dos mais de 60 jornalistas que trabalham em Portugal para órgãos de informação estrangeiros, tendo por objetivo reconhecer a personalidade ou entidade portuguesa que mais contribuiu para o nome do país no exterior.