Tribuna Expresso

Perfil

Seleção

Os vários tons de bonito para Fernando Santos, numa conversa em que entraram Alenichev e Byshovets

Os russos dizem que não jogamos bonito, perguntam se temos medo deles e ainda pelos seus compatriotas. O selecionador nacional tem resposta para tudo. Já Pepe sublinha que a motivação de Portugal para o embate de amanhã com os anfitriões está sempre no máximo e que com a Seleção "nunca há fadiga". Os campeões da Europa jogam esta quarta-feira com os anfitriões na 2.ª jornada do Grupo A da Taça das Confederações sem muito espaço para perder pontos (18h00 de Moscovo, 16h00 de Lisboa, na RTP1)

Lídia Paralta Gomes

FRANCK FIFE/Getty

Partilhar

Estamos na Rússia, vamos jogar contra os russos e, naturalmente, há muitos jornalistas russos na antevisão de Portugal. A Seleção Nacional joga quarta-feira com os anfitriões da Taça das Confederações e não cabe mais ninguém na sala de conferências de imprensa da Otkrytiye Arena, a nova casa do Spartak Moscovo.

Entram Pepe e Fernando Santos, sentam-se e começam as perguntas. Em russo. Para quem não tem a tradução simultânea, fica impossível perceber. Pepe, que tem o auricular, faz um ar de caso.

A pergunta de arranque não é sobre o jogo, mas sim sobre Anatoliy Byshovets. Para quem não se recorda (e devem ser bastantes) o treinador russo nascido na Ucrânia esteve três meses no Marítimo em 2003. E por lá jogava um jovem central acabado de chegar do Brasil. A pergunta deve ter causado tal estranheza a Pepe que o central português dá uma resposta um tanto ou quanto vaga.

“Na altura tinha 18 ou 19 anos, mas guardo com o maior carinho todos os treinadores que tive. Tirei o máximo de aprendizagem de todos os meus treinadores”.

Adiante. Há mais perguntas extra Rússia-Portugal. Um jornalista francês questiona sobre o PSG. “O meu clube neste momento é a Seleção. Sou um jogador sem contrato mas não há nada, nenhum acordo com clube nenhum”. E há uma pergunta sobre o estado de espírito de Ronaldo: “Somos profissionais, pensamos exclusivamente em fazer o melhor possível e desfrutar do que é possível desfrutar, porque é a primeira vez que aqui estamos. O Cristiano é mais um que está super-motivado para ajudar”.

Sobre o jogo desta quarta-feira, o central recordou que “a Rússia tem uma equipa coesa”, com jogadores que “pressionam” e “tentam tirar espaço ao portador da bola”.

“Vai ser complicado, mas temos jogadores com qualidade. Temos de ser fiéis aos nossos princípios de jogo, às nossas capacidades individuais e coletivas. Frente ao México tivemos falta de sorte. Sofremos dois golos perto do final da 1.ª e 2ª parte, mas é assim o futebol. Temos de estar com os nossos níveis de concentração lá em cima”, sublinhou Pepe, que recusou que haja fadiga entre os jogadores da Seleção Nacional: “A nossa motivação está sempre no máximo porque trabalhamos para isso, para dar uma alegria ao nosso povo. Com a Seleção não há fadiga. Temos o compromisso de fazer o melhor e levar o nome de Portugal o mais longe possível”.

FRANCK FIFE/Getty

O vídeo-árbitro é outro dos atores principais desta Taça das Confederações até porque tem entrado em ação na prova com bastante frequência. Pepe começa por dizer que a questão “é complicada”, mas logo frisa que é preciso “dar crédito a esta nova experiência”, que veio para “ajudar” o futebol.

“Perfeito só Deus”

O vídeo-árbitro já tirou um golo a Portugal nesta Taça das Confederações mas Fernando Santos não está para grandes discussões sobre a tecnologia que está a ter na Rússia um ensaio de fogo. “A questão central é que a prova vai disputar-se neste modelo e não vale a pena discutir isso. Estamos adaptados e assim será. Depois da prova os responsáveis irão ponderar sobre o futuro. Há sempre algo a alterar. Na vida nada é perfeito. Perfeito só Deus!”, sublinhou.

Antes disso, a conferência de imprensa de Fernando Santos tinha arrancado também com uma questão sobre um amigo russo, ou melhor, sobre um “espião russo”, pergunta que o selecionador nacional nem percebeu à primeira.

“Estás a falar do Alenitchev? Falei com ele, sim. Falo muitas vezes com ele porque foi meu jogador no Porto e temos uma forte relação de amizade. Temos oportunidade de falar, não digo todos os meses mas quase todos. Gosto muito dele e já falei com ele aqui na Rússia”, revelou.

As perguntas russas continuaram. Questionam o jogo de Portugal, que não lhes parece bonito. E aí tivemos Fernando Santos de ataque. “Bonito? Não sei o que é bonito. Eu sei o que é bonito para mim e feio também, mas cada um tem o seu conceito. Há quem tenha um conceito de bonito diferente do meu e isso não os torna melhor ou pior. Jogar bonito e não ser campeão da Europa? Não estou interessado, sinceramente. Prefiro ser campeão da Europa porque caso contrário não estaria aqui”, respondeu o selecionador nacional, que não se ficou por aqui. “A equipa joga sempre para ganhar. Desde que cheguei aqui que temos uma derrota e isso, por si só, diz muito sobre a qualidade desta equipa”.

Trabalho de casa já foi feito

Numa competição em que o intervalo dos jogos é muito curto, Fernando Santos frisou que o trabalho para este jogo frente à Rússia foi feito “de forma antecipada” e que por isso a “equipa está preparada”. E sem pressão: “A maioria destes jogadores escreveu a página mais bonita da história do futebol português. A minha confiança neles é ilimitada”.

YURI KADOBNOV/Getty

Sobre a Rússia, o selecionador nacional lembrou que está “há um ano a preparar a Taça das Confederações e o Mundial do próximo ano” e que está “em crescendo”, mesmo que esteja em plena fase de renovação e com um novo treinador.

“Não receamos ninguém, temos um grande respeito pela Rússia. É uma equipa que não tem muito a ver com as que disputaram as últimas competições, mas está mais entrosada. Fizeram um primeiro jogo muito bom, mas receio não temos, temos é respeito e humildade para saber que é um adversário poderoso”, continuou Fernando Santos, que não revelou se André Silva será escolha para o onze frente aos anfitriões, depois de começar no banco frente ao México.

“Só revelo amanhã quem vai jogar. Neste momento nem os jogadores sabem, eles às vezes percebem no treino se vão ser titulares ou não mas desta vez nem sequer tivemos ainda treino!”, fechou o selecionador campeão da Europa.

O único treino de preparação para a missão russa com toda equipa seguiu-se à conferência.

  • Fernando Santos: bonito, bonito... é ganhar

    vídeo

    Portugal defronta esta quarta-feira a Rússia no segundo jogo da Taça das Confederações. Depois do empate frente ao México, o encontro com a Rússia ganha ainda mais importância. Na conferência de imprensa de antevisão, Fernando Santos rejeitou as críticas à qualidade de jogo da seleção nacional. André Silva deverá ser titular no jogo contra os russos