Tribuna Expresso

Perfil

Seleção

Fernando Santos: “Fomos fortes a defender, foi assim que conquistámos um Europeu. Podem não gostar, mas comigo vai continuar a ser assim”

O selecionador nacional apareceu não muito bem disposto na flash-interview após a vitória (1-0) contra a Rússia, para dizer que Portugal foi forte no que não tinha sido frente ao México - na ação defensiva. E Fernando Santos garantiu que ninguém vai facilitar contra a Nova Zelândia

Expresso

KIRILL KUDRYAVTSEV

Partilhar

O golo que, desta vez, a seleção não sofreu

"Fez a diferença [o golo marcado] e fez a diferença não sofrer nenhum golo, essa foi a diferença clara. Acho que tivemos bem na nossa virtude: uma equipa com personalidade, que sabe ter bola, que sabe atacar, mas muito forte a defender. Foi isso que levou a equipa conquistar um Campeonato da Europa, as pessoas podem não gostar, mas, comigo, vai continuar a ser assim."

"Neste jogo, estivemos bem. Melhorámos em alguns aspetos do jogo, claramente, E em algo essencial, que é a ação defensiva. Contra o México, sofremos dois golos que, normalmente, a equipa não sofre."

Houve muito cansaço durante o jogo?

"Alguns jogadores estão cansados. Tive que fazer algumas opções, procurar não perder força no contra-ataque, daí o Gelson. Depois, o Danilo, porque o Adrien já estava muito mal e não queríamos perder força na parte final.

"Estamos sempre focados. E, neste prova, com viagens de três em três dias, e sem treino, não é fácil manter os jogadores focados. Procurámos tomar as decisões um pouco antecipadamente. Sabíamos, antes, que tínhamos um jogo importante na Letónia e disse que todos iam ter oportunidade nesta Taça, porque é impossível jogar sempre com a mesma equipa.

Virá aí um pensamento de facilitismo?

"Na minha equipa não vem de certeza. Eu não deixava seguramente, mas os meus jogadores também não deixam."